Escolas se preparam para retorno presencial se adequando às medidas sanitárias

Planejamento prevê higienização e desinfecção do ambiente escolar

07/10/2020 13h10 - Atualizada em 07/10/2020 14h08
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Para garantir o retorno seguro às aulas presenciais na rede estadual de ensino, as escolas do Pará se adaptam a todos os protocolos sanitários recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), por conta da pandemia da Covid-19, garantindo a higienização e a desinfecção do ambiente escolar. 

“Estamos trabalhando de forma intensa na preparação das escolas estaduais para receber os nossos alunos. Até o final de outubro prevemos estar de volta às aulas presenciais com toda a retaguarda de segurança necessária para o processo de retomada”, afirma a secretária de Estado de Educação (Seduc), Elieth de Fátima Braga.

Escola de Ensino Fundamental e Médio Dr. Ulysses Guimarães ganhou pias em locais estratégicos e 20 dispensadores de álcool em gelA Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Ulysses Guimarães é uma das unidades de ensino que já está na etapa final de preparação. Além do processo de higienização e desinfecção que estão sendo concluídos para tornar o ambiente seguro para alunos, professores e demais servidores, foram instaladas dez novas pias externas em ambientes estratégicos do colégio, 20 dispensadores de álcool em gel nos corredores, salas e banheiros; três totens higienizadores em locais de acesso e dois tapetes sanitizantes. 

Nas salas de aulas e nos bancos localizados na área de circulação foram feitas as demarcações de acordo com o distanciamento social permitido. Nas paredes da escola, orientações sobre medidas de prevenção estão disponíveis. Todos os cuidados estão sendo tomados para combater a propagação do novo coronavírus nas unidades de ensino. 

Diretora da Dr. Ulysses, Ângela Silva destaca a importância de se respeitar os protocolos de saúde e está otimista com a volta às aulasSegundo a diretora do Ulysses Guimarães, Ângela Silva, logo na entrada, funcionários vão aferir a temperatura de todos que acessarem a escola, e verificar a obediência do uso das máscaras obrigatórias.

Inicialmente, a área do refeitório não será liberada aos alunos, para evitar focos de aglomeração, assim como estarão disponíveis apenas os bebedouros com dispositivos de torneira para encher o recipiente que cada aluno trará de casa para uso individual. 

A escola tem 18 salas de aulas e cinco salas para apoio pedagógico, onde funcionam a biblioteca, sala de informática, laboratório multidisciplinar, sala multifuncional e sala de arte. Com o retorno gradual das atividades, inicialmente, serão utilizadas nove salas, com o máximo de 13 alunos por classe, que cumprirão horários especiais. Também serão disponibilizados pulverizadores de álcool em cada sala.  

“Buscamos trabalhar o mais próximo possível dos nossos alunos e pais. Sempre conversamos sobre a necessidade de respeitar todos os protocolos de segurança, novos hábitos e as medidas sanitárias que estamos executando. A expectativa é muito positiva para essa retomada”, ressalta a Diretora. Os pais receberão um termo de responsabilidade para autorizar o retorno dos filhos às aulas presenciais.

Nesta quinta-feira (8) será realizada a primeira reunião presencial com os pais dos alunos para que eles acompanhem as adequações e recebam cerca de 200 chips de internet disponibilizados pelo Governo do Estado. 

APROVAÇÃO

A mãe da aluna Mellanie Brito, da Escola Ulysses Guimarães, Jorgina Maia, visitou a escola para acompanhar o processo de reorganização para o retorno presencial e ficou satisfeita com o que viu. “Agora me sinto segura em deixar a minha filha retornar, porque estou vendo que todas as medidas estão sendo cumpridas rigidamente”, garante.

Jorgina Maia tem conversado diariamente com a filha, que está no 3º ano, sobre os cuidados e novos hábitos que ela precisará ter na escola. “Alerto sobre a importância da máscara, sobre manter o distanciamento social, mesmo que a saudade dos colegas seja grande. Já que a escola está oferecendo todo um aparato seguro para o retorno, acho que é possível voltar, mas sempre em atenta”, finaliza.  

INVESTIMENTO

Segundo Elieth de Fátima Braga, a Seduc trabalha para que todos recebam os chips de internet disponibilizados para alunos do 3º ano do ensino médio, que estudam em escolas da rede pública estadual de ensino da Região Metropolitana de Belém e estão se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A iniciativa faz parte do Programa “Todos em Casa pela Educação” e objetiva garantir o acesso às aulas virtuais. A previsão é de que 105 mil chips sejam entregues em todo o Pará. 

 “Nossos alunos também estão recebendo cadernos de atividades que foram construídos pelos nossos professores da rede estadual e disponibilizam conteúdos programáticos essenciais. Estamos fazendo esse monitoramento”, explica a titular da Seduc.