Linhas de crédito contribuem para fortalecer produção de inscritos no Territórios Sustentáveis

Banpará e Sedeme articulam ações de fomento voltadas para a inclusão bancária dos pequenos produtores da agriculta familiar e de cooperativas

28/09/2020 15h29 - Atualizada em 28/09/2020 16h32
Por Raiana Coelho (SEDEME)

Produtor rural Nábio Silva participa do Territórios Sustentáveis em Água Azul do Norte, e busca melhoria genética para o rebanho dele “A gente precisa para dar manutenção, melhorar a questão da genética animal. Eu já tô inseminando, então a gente acaba precisando e o custo é alto para a gente fazer, se tiver a parte do banco, fazer um empréstimo para a gente melhorar essa parte de genética, seria bom. O meu gado, hoje, ainda não tem a genética que eu gostaria de alcançar”, explica o produtor rural, Nábio Ferreira da Silva, dono de uma propriedade localizada às margens da PA-279, município de Água Azul do Norte, e que conheceu pela primeira vez, nesta segunda-feira (28), o Programa Territórios Sustentáveis, do Governo do Estado.

O "Territórios Sustentáveis" é um dos quatro pilares que compõem uma grande estratégia de combate ao desmatamento e desenvolvimento econômico, que é o “Amazônia Agora”, e que, entre outros benefícios, prevê auxílio financeiro, por meio de linhas de crédito com taxas subsidiadas para a agricultura familiar, informa a superintendente de Desenvolvimento Econômico e Social do Banpará, Cindy Ornela, “o Banpará está contribuindo com ações de fomento voltadas para a inclusão bancária dos pequenos produtores situados nesses territórios e, também, no financiamento dos agricultores familiares e das cooperativas que os integram para que possam fortalecer suas produções, gerar renda e garantir que a regularização fundiária e ambiental venha atuar como uma ferramenta de desenvolvimento econômico e social”.

O Banco do Estado aguarda o levantamento do número de pequenos produtores rurais que atuam nas regiões do “Territórios Sustentáveis”, para mensurar o potencial a ser alcançado com suas ações. O levantamento será feito pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e o Instituto de Terras do Pará (Iterpa).

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), uma das sete secretárias estaduais que estão integradas ao TS, é também responsável por criar meios de apoio financeiro a proprietários rurais, visando à otimização da produção, e, principalmente, mostrando que é possível produzir sem desmatar. “Nós preparamos um diagnóstico econômico da produção do "Territórios Sustentáveis”, que servirá de base para o direcionamento da economia e o que se tem em cada lugar. Nós vamos levar atendimentos aos lugares assistidos pelo projeto e criar linhas de crédito junto ao Banpará e outras entidades financeiras que também são parceiras do Governo como a OCB, Sicred e Sicoob”, é o que afirma Lourival Junior, gestor do setor responsável pelo TS na Sedeme.

Marlene de Souza conheceu o Terrirtórios Sustentáveis e quer incrementar sua propriedade rural em Água Azul do Norte Uma das ferramentas que deve ser colocada em prática dentro do TS é o “Empondera”, voltado a mulheres do campo como a senhora Marlene Souza. “O incentivo financeiro vai ajudar a aperfeiçoar minhas ideias e meus projetos, que é melhorar a qualidade do leite, melhorar o pasto, colocar as cercas”, conta a produtora rural e aposentada, dona de uma pequena propriedade no município de Água Azul do Norte, onde trabalha com a produção de leite e a plantação de hortaliças.

A presença das equipes do Governo do Pará nos territórios que compõem o TS, permite a participação das comunidades. “A principal função, inclusive, das mobilizações é ter o retorno, justamente ouvir a comunidade, o que eles têm a dizer, as demandas deles desde o planejamento inicial do programa até hoje. A gente corrigiu e evoluiu o programa sempre com base nas contribuições que as comunidades dão para nós”, destaca Raul Protázio, secretário adjunto da Semas.