Programa do Banpará libera mais de 11 milhões em três meses de operação

Linha de crédito firmou 195 contratos e proporcionou a manutenção de mais de dois mil empregos

25/09/2020 14h56 - Atualizada em 26/09/2020 08h39
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Em três meses de operações do Programa Capital de Giro Empreendedor, criado pelo Banco do Estado do Pará (Banpará), 11,28 milhões foram liberados para empresas de pequeno e médio porte, como bares, academias, escolas e restaurantes, para minimizar os impactos econômicos causados pela pandemia da Covid-19.

Desde que ficou disponível, em 23 de junho de 2020, a linha de crédito firmou 195 contratos e garantiu a manutenção de 2.158 empregos. Segundo o diretor comercial do Banpará, Jorge Antunes, o Programa é fundamental para a continuidade operacional das empresas paraenses, principalmente daquelas que sofreram maior impacto com a suspensão total ou parcial de suas atividades.

“O Banpará se faz presente ativamente junto à sociedade paraense como fomentador da economia do Estado, criando produtos com taxas e prazos competitivos no mercado financeiro. Com o ‘Capital de Giro’, conseguimos também garantir a manutenção da mão-de-obra empregada, reduzindo os índices de desemprego do Estado em função da pandemia”, explica o diretor.

O empreendedor Roberto Mota, que trabalha na produção e comércio de polpa de açaí em São Francisco do Pará, no nordeste do Estado, afirma que o atendimento eficiente e a rápida liberação do recurso disponibilizado pelo Programa foram cruciais para a continuidade do negócio, já que dependia das condições de safra do produto comercializado.

Para empresário Roberto Mota, em São Francisco do Pará, no nordeste estadual, o Crédito Empreendedor foi providencial na pandemia “O capital, liberado no mês de julho, ajudou a fazer o nosso estoque de açaí na entressafra, que foi até agosto, porque ele é mais consumido de setembro a dezembro. Isso foi essencial pra gente. O Banco está de parabéns, sempre que precisamos estão disponíveis pra me atender, super atenciosos. Eu dou nota 10”, conta Roberto Mota.

Empresas de pequeno e médio porte buscaram auxílio no Crédito Empreendedor: comércio (30%), indústrias (16%) e alimentação (10%). O empresário José Ricardo Constantino, que possui uma empresa de serviço automotivo em Castanhal, também foi um dos beneficiados com o “Capital de Giro”.

O empresário afirma que, no mês de abril, o movimento da sua loja caiu em torno de 85%, o que gerou inúmeras dificuldades para conseguir cumprir os vencimentos das contas. “O valor liberado pelo Banpará ajudou bastante. Conseguimos pagar diversos boletos atrasados, além da folha de pagamento. Investimos na recuperação da empresa, porque a pandemia gerou um impacto muito forte pra gente”, afirma José Ricardo Constantino.

CAPITAL DE GIRO

A linha de crédito do Banpará, que é acompanhada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), libera recursos entre R$ 5 mil e R$ 1 milhão por inscrito, com taxa de 0,85% ao mês. São 90 dias de carência para o pagamento da primeira parcela e 36 meses para a amortização.

Os empresários interessados devem acessar a relação de documentos disponível no site do Banpará, procurar uma das agências do banco, munidos da documentação e solicitar o crédito. Se o interessado já for correntista do Banpará, deve procurar o gerente da sua agência.