Governos compram produção de pequenos agricultores e distribuem a 580 mil em situação de vulnerabilidade

Durante a pandemia, pequenos agricultores não conseguiram comercializar seus produtos e tiveram muitos prejuízos

24/09/2020 13h13 - Atualizada em 24/09/2020 17h15
Por Leonardo Nunes (SECOM)

Anúncio foi feito nesta quinta (24), pelo governador Helder Barbalho e pelo ministro Onyx Lorenzoni, durante o lançamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no EstadoEm uma ação estratégica para auxiliar produtores rurais e pessoas em situação de vulnerabilidade social, os Governos Federal e Estadual estão articulando, junto aos municípios, a aquisição de parte da produção agrícola de pequenas e médias propriedades rurais que estão com estoques acumulados por causa da pandemia do novo coronavírus, beneficiando 582 mil paraenses em situação de vulnerabilidade.

O anúncio oficial foi realizado no final da manhã desta quinta-feira (24), pelo governador Helder Barbalho e o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, durante assinatura do termo lançamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). No Estado, o Governo Federal vai repassar R$ 24,838 milhões para o PAA. O evento foi realizado no Palácio dos Despachos, sede do Poder Executivo Estadual, em Belém.

“É fundamental a parceria, união e, particularmente, a gratidão por essa cooperação que permite o fortalecimento do Programa de Aquisição Alimentar para prestigiar e fortalecer a agricultura familiar, fazendo a aquisição dos produtos que são fruto do trabalho familiar e, por outro lado, garantindo que esses alimentos cheguem na mesa das pessoas que mais precisam” - governador Helder Barbalho.

No Estado, Governo Federal vai repassar R$ 24,838 milhões para o PAACom o PAA, serão beneficiados 3.076 agricultores divididos em 352 cooperativas, associações ou organizações produtivas, contemplando 582.160 mil pessoas com as doações de alimentos. A distribuição dos itens para as pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional é realizada pela rede socioassistencial, equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional, além da rede pública e filantrópica de ensino.

O ministro Onyx Lorenzoni destacou o empenho da União para reduzir o impacto econômico e social da pandemia do novo coronavírus na vida dos brasileiros. “O Governo desenvolveu um conjunto de ações com a preocupação de, durante a pandemia, dar condição de sustentação às pessoas mais vulneráveis”, ponderou. 
O programa promove o abastecimento alimentar por meio de compras governamentais de alimentos; fortalece circuitos locais e regionais e redes de comercialização; valoriza a biodiversidade e a produção orgânica e agroecológica de alimentos; incentiva hábitos alimentares saudáveis e estimula o cooperativismo e o associativismo.

Onyx Lorenzoni destacou o trabalho da União para reduzir o impacto da pandemia do novo coronavírus na vida dos brasileirosPara a definição dos limites de recursos financeiros, o Ministério da Cidadania utilizou os indicadores propostos pela Secretaria de Articulação e Gestão da Informação (Sagi). Esses dados são capazes de mensurar a relação entre a oferta de alimentos provenientes da agricultura familiar e a demanda requerida pela população em situação de insegurança alimentar e nutricional.

O secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Inocêncio Gasparin, explicou que, no Estado, cerca de um milhão de famílias vivem com renda inferior a um salário mínimo. “O ato de hoje é a concretização de um processo em curso para que seja possível avançarmos neste programa. Estamos revestindo maior esforço possível para auxiliar na melhoria da qualidade de vida destas famílias”, ponderou.

PAA

O Programa de Aquisição de Alimentos é uma das ações federais para a Inclusão Produtiva Rural das famílias mais pobres, e tem como finalidades a promoção do acesso a alimentação e o incentivo à agricultura familiar. Para o alcance dessas metas, o programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial, pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e pela rede pública e filantrópica de ensino.

Com o aumento das dificuldades nesse momento de pandemia, para seguir impulsionando a ação da agricultura familiar, o Governo Federal abriu um crédito extraordinário, por meio da MP 957/2020, e destinou um valor extra para a execução do PAA em todos os estados brasileiros, para ações de segurança alimentar e nutricional.

PAA no Pará

No Pará, o Estado e os municípios executam o PAA através da Compra com Doação Simultânea e por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que contrata os projetos de cooperativas, associações ou organizações produtivas (CNPJ). Agricultores individuais são os beneficiados com a Compra com Doação Simultânea.