Secretarias estaduais atuam integradas para fomento do setor produtivo

Nesta segunda-feira (21) servidores da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e Emater conheceram detalhes do trabalho de regularização fundiária do Iterpa

21/09/2020 14h40
Por Camila Botelho (SEDAP)

O Governo do Pará desenvolve ações integradas de fomento ao setor produtivo. Na manhã desta segunda-feira (21) servidores da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) participaram, no auditório da secretaria, de uma programação com a participação do Instituto de Terras do Pará (Iterpa). O evento teve como o trabalho da regularização fundiária das cadeias produtivas. 

A programação organizada pelo Núcleo de Planejamento da Sedap (Nuplan) contou ainda com representantes da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). Coordenador do Nuplan, Nonato Ferreira, fez um apanhado geral sobre o plano estratégico para o desenvolvimento das oportunidades econômicas no território paraense. Ele reiterou que são sete as cadeias elencadas pelo governador Helder Barbalho: cacau, dendê, açaí, grãos, mandioca, pecuária e aquicultura.

 Os servidores acompanharam atentos as explicações do presidente do Iterpa, Bruno Kono, que fez inclusive um balanço das ações, realizadas até o momento pelo programa Territórios Sustentáveis (TS), e das previstas para as cadeias produtivas no que se refere à regularização fundiária. O secretário da Sedap, Hugo Suenaga e o adjunto, Lucas Vieira, acompanharam a programação. 

O titular do Iterpa, Bruno Kono defendeu a importãncia da integração dos trabalhos em benefício das cadeias produtivas. “Estamos atuando em conjunto, atendendo as demandas das secretarias e outros órgãos que trabalham no setor, principalmente para que o estado tenha mais eficiência na gestão de políticas públicas e com certeza melhorar os seus resultados para que de fato atenda quem mais precisa, que é o produtor rural na ponta”. 

Bruno Kono infomou, também, que além de São Félix do Xingu, onde estão em prática as ações do TS, o Iterpa já mapeou 52 municípios para a execução da próxima fase do programa. Ele explicou que as ações serão desenvolvidas simultaneamente em São Félix e nos municípios que forem destacados, conforme análise dos gestores estaduais. 

“São Félix é um desafio grande porque é a maior extensão territorial em terras públicas estaduais. O trabalho ainda vai se estender até o final do ano e deve entrar pelo próximo porque envolve a regularização fundiária associada ao combate ao desmatamento”, explicou o presidente do Iterpa. 

Ao final da programação, o secretário adjunto da Sedap, Lucas Vieira, fez uma avaliação positiva da ação. “É importante entender o trabalho que o Iterpa faz para que a gente possa passar as nossas demandas. Dentro das cadeias produtivas, temos essa parte importante que é a regularização fundiária. Nós já saímos com alguns encaminhamentos e vamos fazer o levantamento dos municípios dentro de cada cadeia para que possamos focar diretamente cada gleba e comunidade”. 

Lucas Vieira explicou ainda que cada uma das sete cadeias produtivas tem dois técnicos da Sedap que atuam como coordenadores, nomeados por portarias publicadas no Diário Oficial do Estado.

*Por Rose Barbosa (SEDAP).