Condenado por matar casal de ambientalistas é transferido para Belém

Lindonjhonson foi recapturado em Tucuruí, após escapar de uma penitenciária em Marabá, há cinco anos. Polícia investiga outros crimes atribuídos a ele na região.

08/08/2020 12h35 - Atualizada em 09/08/2020 13h20
Por Ronan Frias (COHAB)

Lindojhonson Silva Rocha chegou escoltado a Belém na manhã deste sábado (8) e foi enviado à Central de Triagem da MarambaiaLindojhonson Silva Rocha foi escoltado na manhã deste sábado (8) pela equipe de segurança do governo do Estado, da cidade de Tucuruí, sudeste do Pará, para Belém. A chegada ocorreu às 10h40 da manhã, no hangar do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), de onde o preso foi enviado à Central de Triagem da Marambaia.

Lindojhonson foi condenado a mais de 40 anos de prisão pelo assassinato de José Claudio e Maria do Espírito Santo, em maio de 2011, no município de Nova Ipixuna, sudeste paraense. O crime teve repercussão internacional. O casal liderava iniciativas de defesa da agricultura sustentável, em parceria com a Comissão Pastoral da Terra, em Nova Ipixuna.

Preso em 2011, Lindonjhonson foi julgado em 2013 e condenado a 43 anos de prisão. No dia 15 de novembro de 2015 fugiu da Penitenciária Mariano Antunes, em Marabá, também na região sudeste. 

 "A partir de agora o preso ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue com as investigações, apurando a possível participação de Lindojhonson em outros crimes cometidos na localidade onde ele foi recapturado. Já temos informações de que ele usava um nome falso na região", afirmou José Humberto de Melo Júnior, diretor de Polícia do Interior.

Policiais civis da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí recapturaram Lindojhonson na sexcta-feira (7) em uma vila na zona rural, distante aproximadamente 70 quilômetros da sede do município. O preso foi apresentado em Tucuruí à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), responsável pela transferência dele para Belém.

Segundo o secretário de Estado de Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, a transferência do preso, foragido do cumprimento da pena desde 2015,  quando fugiu da unidade prisional do Crama de Marabá, foi uma medida associada ao nível de periculosidade do preso e importância do evento criminoso, que teve repercussão internacional. O acompanhamento do caso é feito por organismos internacionais.

"Quando ele foi recapturado pela ação da Polícia Civil na tarde da sexta-feira, nós o recebemos por volta de 19h na unidade prisional de Tucuruí. No que pese, a unidade está em procedimento de armamento necessário ao controle interno, para repelir uma agressão externa. Ainda assim, por medida de cautela que esse caso impõe, ele foi transferido de Tucuruí para Americano, onde a possibilidades de fuga ou de resgate desse preso não existe", disse o secretário.

"Então, ele certamente agora, com essa transferência, irá cumprir toda sua pena, como foi determinado pela Justiça. Agradeço pelo apoio do Graesp nessa  operação, o apoio da Polícia Civil no deslocamento do preso na cidade de Tucuruí até o aeroporto de Tucuruí e também, fundamentalmente, aos nossos agentes do Comando de Operações Penitenciárias Especiais (Cope), na pessoa do seu comandante, coronel Vicente".