Professores concursados reforçam educação musical na Fundação Carlos Gomes

Pela primeira vez na história da instituição são empossados 43 servidores efetivos entre professores de música, professores auxiliares e técnicos em música

07/08/2020 13h03 - Atualizada em 07/08/2020 14h11
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Cerimônia de posse aconteceu nesta sexta-feira (7) na Sala Ettore Bosio, da Fundação Carlos Gomes, em BelémA posse dos primeiros servidores efetivos da Fundação Carlos Gomes (FCG) é um marco na história centenária da instituição. Nesta sexta-feira (7), em cerimônia solene, foram empossados 43 profissionais, entre professores de música, professores auxiliares e técnicos em música.

“Eu não posso mostrar o meu sorriso por causa da máscara de proteção, mas o brilho dos meus olhos diz tudo”, afirmou emocionado, Eduardo Nascimento, um dos novos servidores empossados para o cargo de professor de música, com habilitação em canto.

Segundo o professor Eduardo, ser um dos primeiros concursados da Fundação, na qual ele cresceu, é indescritível. “Minha história no Conservatório se inicia em 1990. É fantástico porque eu construí a minha carreira e a minha vida aqui dentro''.

"Passei por todos os processos, como musicalização, curso técnico, graduação, especialização, tudo dentro dessa Casa. Se antes já era bom e o trabalho era feito com o coração, agora vai ser cada vez melhor”, completou ele.

Superintendente da Fundação, Glória Caputo afirmou que a posse dos primeiros concursados materializa um grande sonhoSegundo a superintendente da Fundação, Glória Caputo, além de um grande sonho, a posse dos primeiros concursados entra para a história da instituição. “Desde a criação do Conservatório, em 1897, pela primeira vez, empossamos professores efetivos por meio de concurso público. Pessoalmente representa muito para mim. Em 1951, me tornei estudante do Carlos Gomes e hoje estou dando posse para os primeiros concursados da instituição, com o objetivo de legalizar a nossa Casa”.

Os novos servidores foram divididos em grupos para participar da celebração na Sala Ettore Bósio, nas instalações do Conservatório, garantindo as medidas de distanciamento social e demais protocolos de atenção à saúde. O concurso ofertou 90 vagas, entretanto, apenas 63 profissionais foram aprovados. Os 20 profissionais ainda não empossados, solicitaram prorrogação por conta de pendências documentais. 

Aprovada em música com habilitação em viola, Jade Guilhon disse que a Fundação tem valor imensurável à cultura musical Para a mais nova empossada no cargo de professora de música, com habilitação em viola, Jade Guilhon, o momento é de grande conquista. “Essa instituição tem um valor inimaginável para nós e para a cultura e educação musical do Estado. É uma honra fazer parte dessa história. Desde criança, quem estuda música tem a Fundação como referência e sonha em fazer parte dela. Conseguimos ir além e estar aqui como os primeiros concursados, é realmente incrível”.

“Essa posse representa o reconhecimento e a valorização do nosso esforço. A gente precisa que os professores de música tenham esse espaço, para que a educação musical continue sendo promovida com qualidade, porque é de importância impar para o Pará ter mais profissionais sendo qualificados e fazendo com que a nossa cultura de grandes músicos continue a fluir”, ressalta a professora Jade. 

Segundo o diretor de Ensino da Fundação, Joel Costa, o recredenciamento do curso de bacharelado junto ao Conselho Estadual da Educação é outra realização importante para a instituição. “Atuamos com cursos livres de musicalização, cursos técnicos profissionalizantes e o curso de bacharelado em música. A expectativa é que a partir da posse dos novos professores efetivos poderemos ofertar mais vagas de ensino na instituição e atender ainda melhor os nossos alunos no desenvolvimento musical do Estado. Vamos poder dar voos mais altos”.

“O empenho do Governador foi muito importante para que esse momento se realizasse. O destino traça caminhos incríveis. A Fundação foi criada em 1986, pelo ex-governador Jader Barbalho e hoje, em 2020, o Governador Helder Barbalho legaliza a posse dos nossos primeiros concursados”, relembra a superintendente Glória Caputo.  

CONCURSO

O Concurso Público C-180 foi aberto em julho de 2018, quando não existiam as funções ofertadas legalizadas, falha corrigida pela atual administração. O objetivo é cumprir as exigências de órgãos como o Ministério da Educação e o Conselho Estadual de Educação, que determinam que o curso de bacharelado de Música tenha um quadro permanente. Com o ajuste, será possível regulamentar o bacharelado, para formar, posteriormente, novos músicos.

O decreto de nomeação foi assinado em 07 de julho, pelo governador Helder Barbalho e publicado no dia seguinte no Diário Oficial do Estado. A convocação dos primeiros professores efetivos da Fundação Carlos Gomes obedece aos trâmites da Lei nº 9.044, de 4 de maio deste ano, sobre a reorganização da instituição, que também estabelece o retorno do vínculo institucional à Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Segundo a lei, a principal missão da FCG é a formação musical no Estado, desenvolvendo atividades na área de ensino, extensão e pesquisa.