Hortas domésticas em Portel combatem estresse, melhoram economia e alimentação familiar

Emater garante orientação técnica a famílias sem envolvimento anterior com a agricultura, que têm cultivado alimentos para enriquecer a dieta alimentar e incrementar a economia doméstica

27/07/2020 15h07 - Atualizada em 27/07/2020 15h30
Por Aline Miranda (EMATER)

O assessoramento de hortas domésticas na zona urbana de Portel, no Marajó, tem gerado bons resultados a famílias Durante a pandemia do novo coronavírus, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Portel, no Marajó, está oferecendo um serviço especial para a população do município: o assessoramento de hortas domésticas na zona urbana.

São famílias sem envolvimento anterior com a agricultura as quais descobriram no cultivo de alimentos, na jardinagem e nas plantas medicinais e ornamentais uma forma de ocupar o tempo na fase de quarentena, de atenuar o estresse e de melhorar a dieta alimentar.

A atividade, toda direcionada para consumo próprio, desenvolve-se com espontaneidade onde é possível: quintais, pátios, varandas, parapeitos, janelas, caixas avulsas. O que a Emater faz é ajustar, incorporar técnicas e apresentar as opções mais vantajosas, sempre na perspectiva da agroecologia. 

“Uma horta em casa não é só enfiar sementes e mudas na terra e regar. É  envolver-se com um conhecimento novo, é despertar a sensibilidade para a natureza e para a boa nutrição e é, ainda, uma oportunidade de parentes confinados confraternizarem, partilharem, harmonizando a convivência”, enuncia o chefe do escritório local da Emater em Portel, o técnico em agropecuária, Jocimar Mendonça.

Ele reforça outro aspecto: o da economia nas despesas do dia a dia. "Produzir os ingredientes das refeições reduz a lista de compras, às vezes com grande impacto no orçamento”, completa.

Até o momento, pelo menos dez famílias estão sendo acompanhadas. O assessoramento inclui visitas in loco, sob os plenos cuidados de uso de máscara e distanciamento, e contato livre via telefone e whatsapp. 

Com as orientações da Emater, as pessoas contornam equívocos sobre adubação, grau de exposição ao sol, nível de água e controle de pragas e doenças, entre outros.

“A gente, por exemplo, estava plantando pimentão em vaso. Foi o Jocimar chegar aqui e explicar passo-a-passo que, se plantássemos diretamente no chão, adubando com caroço de açaí e terra preta, nossa produção seria muito maior e mais acelerada”, conta o funcionário público Nilson dos Santos, 49.

Morador do Bairro do Bosque, ele aproveitou as horas livres, junto com os pais e irmão, para embelezar o quintal com flores (destaque para a “melindrosa”), cinco tipos de pimenta “queimosa” e dois tipos de pimentão. 

“Vem como de suma importância para amenizar as emoções ruins do momento, mas não dá para conter a empolgação vendo tudo crescer, florir, gerar fruto. O mundo lá fora tão triste e a gente aqui dentro contemplando vida, renascimento. Nosso plano agora é instalar uma estufa para alface, cebolinha, cheiro-verde”, diz o servidor público Nilson Santos, um dos contemplados com a ação. 

SERVIÇO

*Qualquer cidadão de Portel interessado em atendimento para horta doméstica pode acionar a Emater, por meio do telefone e whatsapp (91) 98159-9630.