Empresas paraenses aderem ao Selo Turismo Responsável

22/07/2020 15h34 - Atualizada em 22/07/2020 16h17
Por Israel Pegado (SETUR)

O Selo Turismo Responsável, do Ministério do Turismo (MTur), programa que estabelece boas práticas de higienização para cada segmento do setor, tem sido aderido por empresas do Estado. Segundo a última atualização do MTur, 145 empreendimentos do Pará já receberam a autenticação.

O programa é um meio para os consumidores se sentirem seguros ao viajar e ir em locais que cumpram protocolos específicos do novo coronavírus. O Ministério do Turismo acredita que a medida contribui para “promover o Brasil como destino seguro e incentiva a retomada da atividade turística e a atração de turistas nacionais e internacionais”.

Mais de 10 mil empreendimentos turísticos já foram autenticados em todo o Brasil. Uma das empresas foi a agência de turismo El Shaday Tur Parauapebas, que trabalha com turismo receptivo em Parauapebas e turismo emissivo. Por conta da pandemia, a agência parou as suas atividades. Segundo Léia Silva, dona da empresa, a solicitação foi muito simples, pois eles já vinham tomando as medidas de distanciamento e higienização. Além disso, a empresa está auxiliando e informando os clientes sobre as viagens. “Nenhum cliente cancelou sua viagem, todos aceitaram remarcar. Nossa recomendação é para aguardar, porque nós não vamos colocar a saúde deles (turistas) em risco”, afirma a empresária.

A agência de viagens Samistur do Brasil, também aderiu ao programa. Segundo a diretora de Marketing, Samantha Rahman, para a abertura da agência, no início de julho, foi realizada uma ação de sanitização e desinfecção do ambiente. “Nós mantemos limpeza diária, mantemos álcool em gel por toda a agência, placas com orientações, também temos o tapete de sanitização, diminuímos o número de pessoas dentro do escritório. Estamos fazendo as medições de temperaturas e todos os protocolos necessários”, explica. A companhia já está montando e vendendo pacotes para 2021 e continua auxiliando os clientes com informações e dicas de segurança.

Segurança e conscientização: A solicitação não é obrigatória, mas para Léia Silva, a etiqueta vai ser uma marca de credibilidade para a empresa, apesar de não ter fiscalização. “O selo vai ser um símbolo de confiança. Mas acho que o principal é que nós, empresários do turismo, temos que ter consciência e fazer o que é certo”, diz a gestora. Samantha Rahman também acredita que assumir esse compromisso de segurança é um diferencial muito importante para a retomada. “Vai passar para o turista que aquela empresa trabalha de maneira séria. Vai ser um diferencial nas agências que aderirem os protocolos para que o cliente se sinta seguro e veja que aquele local tem responsabilidade e preza pela saúde e bem estar dele”, declara a diretora de Marketing. 

O Ministério do Turismo não fará fiscalização pois acredita “que empresas e profissionais do turismo são os maiores interessados em garantir um ambiente seguro tanto para seus colaboradores como também para seus clientes”. Mas em caso de descumprimento de protocolos, o turista poderá denunciar para o Ministério do Turismo que, “em última instância, poderá revogar o selo”. 

Agora, as agências aguardam para que tudo volte ao normal e elas voltem a realizar sonhos. “Eu espero que a gente volte a viajar, fazer a alegria das pessoas. Eu sempre falo que nós trabalhamos com sonhos, porque tem muita gente que tem sonho em conhecer algum lugar e nós ajudamos a realizar. Então, espero que as coisas voltem ao normal e que as pessoas se conscientizem”, manifesta Leia Silva.

A representante da Samistur Brasil diz que o momento é das pessoas se acalmarem, aproveitarem para pesquisar e definir com sabedoria os roteiros que querem para o futuro, até porque, viajar é o lazer mais apreciado. 

Para o secretário de turismo, André Dias, o selo é importante pois compromete os negócios turísticos a implantar os protocolos de segurança sanitária, que são importante para os funcionários, empresários, usuários e para conter a pandemia. “O selo é esse compromisso, para que possamos ter uma atividade turística responsável e segura para todos os envolvidos. Além disso, ele acaba servindo como um norte para que o consumidor, o turista, consiga identificar quem tem esse compromisso e quem não tem”, afirma o secretário. 

Serviço: O selo Turismo Responsável está disponível para 15 segmentos do setor. Para fazer a solicitação, é preciso ter o Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos) e acessar no site do Ministério do Turismo, a página do programa: http://www.turismo.gov.br/seloresponsavel/ 

(Texto com a colaboração de Aila Beatriz Inete)