Segup utiliza aeronave para garantir verão seguro nas principais praias

Aeronaves sobrevoam pontos de maior movimentação, dando o suporte necessário em situações de emergência

11/07/2020 14h10
Por Aline Saavedra (SEGUP)

Os agentes do Graesp realizam treinamento específico para atuar no resgate por meio aéreo, aquático e terrestrePara prevenir e atuar em afogamentos nos principais balneários paraenses durante a Operação “Verão Mais Seguro: Saúde, Segurança e Responsabilidade”, o Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), atua nas praias mantendo o monitoramento preventivo de banhistas em locais seguros, observando o posicionamento dos veículos nas areias da praia do Atalaia, em Salinópolis, e atuando ainda com Pontos Bases Estratégicos ao longo das rodovias, em especial no retorno dos veranistas, para agir em alguma emergência, além de ficar à disposição para ser utilizado em ações policiais.

Ao todo, 85 servidores, entre pilotos e mecânicos, por exemplo, estão empregados na operação que ocorrerá até o dia 03 de agosto, em cinco viaturas quatro rodas e três aeronaves. Para agir especificamente em situações que podem ocorrer durante o verão, os agentes do Graesp realizam treinamento específico para atuar no resgate por meio aéreo, aquático e terrestre. 

“Nos balneários do nordeste, a atuação abrange as localidades de Bragança, Ajuruteua, Algodoal, Marudá e Marapanim. Na Região Metropolitana de Belém e nas estradas, uma aeronave realiza o sobrevoo em Mosqueiro, Outeiro e BR, próximo a Santa Maria, Marituba e Capanema. Tudo para, se for preciso, dar o suporte necessário em situações de emergência, e também em ações policiais, que porventura ocorram”, explicou o diretor do Grupamento Aéreo, Coronel Armando Gonçalves. 

Prevenção: aeronaves estão sobrevoando pontos estratégicos nas praias paraenses

Salvamento - O treinamento, realizado no final do mês de junho, para salvamento aquático com uso de puçá, equipamento em formato de cesta para resgate de vítimas de afogamento, em helicóptero é realizado pelo menos três vezes no ano, geralmente próximo a datas em que há um maior número de pessoas viajando para o litoral do Pará. O instrumento, adquirido há um ano, facilita o acesso em locais de difícil acesso, como o alto-mar e também favorece a atuação dos socorristas.

Treinamento realizado pelo menos três vezes ao ano, auxilia o aprimoramento das técnicas de pilotos e operadores aerotáticosO curso auxilia o aprimoramento das técnicas de pilotos e operadores aerotáticos. Durante a capacitação os agentes participam de uma simulação de resgate e contam com auxílio de um helicóptero, membros do Corpo de Bombeiros e ambulância de apoio para possíveis acidentes.

"O objetivo do salvamento aquático com uso de puçá é oferecer a população paraense, se necessário, um serviço de qualidade buscando sempre a excelência no atendimento às ocorrências. Essa é uma forma de utilizar os conhecimentos adquiridos e aprimorar novas técnicas. Nós já somos aptos a realizar esse tipo de resgate, porém é sempre necessário reavivar aquilo que já vimos anteriormente e aprender coisas novas para assim melhorar nossos salvamentos e garantir a segurança da população”, destacou o diretor do Graesp.