Carpinteiro de 92 anos é 100º paciente a vencer a doença no Hospital Galileu

Após 7 dias internado, o aposentado se recuperou e voltou para o convívio de seus familiares

29/05/2020 16h23 - Atualizada em 29/05/2020 21h21
Por Rafaela Palmieri (HPEG)

Seu Antônio Lameira exibe certificado de alta com muita gratidãoApós um mês atendendo, exclusivamente, pacientes com o novo coronavírus, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), unidade do Governo do Estado gerenciada pela Pró-Saúde em Belém, conquistou, nesta quarta-feira (27), a importante marca de 100 pacientes recuperados da Covid-19. 

A responsabilidade de ser o centésimo paciente a receber alta ficou com seu Antônio Lameira, de 92 anos. Após 7 dias internado, o aposentado se recuperou do novo coronavírus e voltou para o convívio de seus familiares, em especial, dos quatro filhos, dez netos e dois bisnetos. Visivelmente emocionado e com a voz embargada, o tímido carpinteiro demonstrou sua gratidão, por meio de gestos e um brilho especial no olhar. A comemoração contida de seu Antônio se justifica com a perda recente da esposa, vítima da mesma doença. 

“Perdemos nossa mãe recentemente, o que abalou a nossa família. Agora agradeço a Deus pela recuperação de meu pai. Poder levar ele hoje para casa é muito gratificante”, disse o filho Almir. “Desde o começo, o hospital se preocupou em nos manter informados, repassando o estado de saúde dele e nos acalmando. Meu pai sempre deixou claro que estava sendo muito bem tratado”, completou Aldeny de Souza, filha de Antônio, e que fez questão de presentear a equipe com bolos e doces. 

Equipe do HPEG comemorou a centésima altaO desafio vem sendo grande para quem está atuando na linha de frente no Hospital Galileu. Antes da pandemia, o HPEG era referência em trauma ortopedia e, com a mudança no perfil de atendimento ao público, algumas medidas e protocolos precisaram ser modificados para manter a excelência na assistência, marca registrada do HPEG. Todos os colaboradores foram treinados e a estrutura da unidade passou pelas adaptações necessárias para atender vítimas da doença no período da pandemia. Recebendo usuários encaminhados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESPA), o número simbólico é um fator motivador para os 250 profissionais que atuam na linha de frente do combate à doença no HPEG. 

“O retorno de cem pacientes para a sociedade evidencia todo o esforço e dedicação desta equipe heroica e que nunca desistiu do seu propósito. A marca será eternamente comemorada e seguiremos atuando para a recuperação de mais pacientes”, pondera Rodrigo Fauth, Diretor Hospitalar do HPEG.