Hospital Abelardo Santos supera 28 mil atendimentos e 509 altas de pacientes

Triagem humanizada auxilia na classificação dos sintomas para direcionar a conduta adequada conforme o quadro

28/05/2020 18h32 - Atualizada em 28/05/2020 19h54
Por Rodrigo Reis (EMATER)

Quase um mês após começar a receber exclusivamente pacientes com sintomas da Covid-19, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), em Icoaraci, distrito de Belém, contabilizou, até esta quinta-feira (28), mais de 28.932 atendimentos e 509 altas de pacientes. Com triagem humanizada, a Unidade conta diariamente com equipes da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e da Fundação Parapaz durante o acolhimento. 

Um dos hospitais referenciados para internação de casos graves, desde o dia 30 de abril, o HRAS passou a funcionar de portas abertas, quando o paciente pode ir direto ao local em busca de ajuda médica, sem precisar de encaminhamento. O pronto-socorro da Unidade conta com 319 leitos, 101 de UTI. 

Eno Nascimento em agradecimento pela alta médica com familiar e profissionais do HRAS

Eno Nascimento, técnico em design gráfico e morador do bairro do Curió-Utinga, em Belém, ficou internado durante cinco dias na Unidade e reconhece o apoio dos profissionais durante o momento complicado que passou. “São profissionais que estão trabalhando incansavelmente para salvar vidas. Agradeço a equipe, sou imensamente grato. Eu venci a Covid e muitos outros vão vencer também”, disse emocionado. 

Acolhimento – Durante a triagem realizada por equipes da Sespa e da Fundação Parapaz, as pessoas são levadas até uma tenda, onde é verificada a oxigenação do sangue e feita a categorização dos quadros clínicos (baixa ou média complexidade). Também são distribuídas máscaras novas para substituir as usadas ou proteger quem não tem. 

“Foi um grande desafio para a Unidade a mudança no perfil de atendimento, mas conseguimos superar isso e hoje nós focamos no atendimento humanizado, que é realizado em todas as áreas do hospital. A gente trabalha pensando no paciente como sendo um familiar”, explanou Alex Marques Cruz, diretor do Abelardo Santos. 

Cruz reforça, ainda, que o atendimento se mantém da mesma forma: “na triagem inicial, quando o paciente é direcionado para o ambulatório ou pronto-socorro e, dependendo da situação, faz exames, recebe remédio ou vai para internação”, finaliza. 

A média diária de atendimento no Abelardo Santos é de 1.800 pessoas. Ainda no estacionamento do Hospital, onde ocorre essa triagem, foram instaladas mais três unidades móveis de saúde que integram as ações do Programa Territórios pela Paz (Terpaz) e Sespa.