Trabalho do Grupamento Aéreo é decisivo na luta contra o coronavírus no Pará

Desde o início de abril, Graesp tem feito o transporte de EPIs, medicamentos e respiradores para o interior do Estado. Mais de 30 viagens já foram realizadas

12/05/2020 10h16 - Atualizada em 12/05/2020 11h48
Por Aline Saavedra (SEGUP)

Nesta terça-feira (12), equipes iniciaram o transporte de 500 cestas de alimentos que serão distribuídas em SantarémA guerra para vencer o novo coronavírus soma esforços de todos os lados. Profissionais da saúde e da segurança são alguns dos heróis anônimos que saem de suas casas todos os dias para ajudar a salvar vidas. O Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), vinculado à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), tem realizado, desde o início de abril, o transporte de equipamentos de proteção individual (EPI), medicamentos e respiradores para o interior do Estado.

Além disso, o Graesp também está dando assistência na coleta sanguínea para testes do Laboratório Central (Lacen), na realização de testes rápidos, condução de materiais para a construção dos Hospitais de Campanha, além de transportar servidores para acompanhamento, fiscalização e atividade médica.

Nesta terça-feira (12), o Grupamento iniciou o transporte de 500 cestas de alimentos que serão distribuídas na cidade de Santarém. A iniciativa do governo do Estado beneficiará famílias que estão passando por dificuldades financeiras nesse momento de pandemia. Os alimentos serão levados gradativamente.

O secretário de Segurança Pública do Pará, Ualame Machado, ressalta o trabalho que vem sendo realizado e que também vai além da participação em operações policiais e transporte governamental.  

“O Graesp naturalmente tem funções essenciais de participação em operações policiais, transporte de autoridades e contribuição nos meios logísticos, mas hoje tem a papel fundamental dentro da pandemia do coronavírus, tendo em vista que, em vários municípios do Estado, os voos comerciais foram suspensos, a exemplo de Santarém e Marabá e até outros locais. A única possibilidade de chegar é pelo auxílio de um helicóptero ou de uma aeronave. E o Graesp está fazendo a distribuição de alimentos, medicamentos, equipamentos, coletas de exames para serem processados aqui em Belém”, informa.

Segundo o titular da Segup, o trabalho do Grupamento é fundamental na corrida contra o coronavírus.

“O Pará é gigantesco e precisa dessa logística muito rápida, inclusive, com deslocamentos para fora do Estado, buscando meios para que a gente possa combater a Covid-19” - Ualame Machado, secretário de Segurança Pública do Pará.

Graesp também está dando assistência na coleta sanguínea para testes do Laboratório CentralO Graesp atuou, ainda, no transporte de médicos cubanos contratados pelo Estado para somar aos profissionais de saúde que estão na linha de frente na pandemia. Em um Estado que possui tamanho continental, o que levaria um dia e meio para ser realizado via terrestre tem sido feito em 2h30 por meio aéreo. As viagens que levam os materiais ocorrem sempre terça e sexta-feira, e já totalizou mais de 30 deslocamentos.

Os voos tiveram como destino as cidades de Afuá, Altamira, Marabá, Santarém, Parauapebas, Melgaço, Breves, Chaves, Redenção e Tucuruí, sendo que a assistência se estende para além desses municípios. Além das viagens para o interior do Estado, a frota também seguiu para outras unidades da federação para o transporte de medicamentos, profissionais e aparelhos respiradores trazidos ao Pará.

Materiais – Dentre os equipamentos distribuídos estão luvas, máscaras, álcool em gel, álcool 70° e 65, e também sabonete líquido para coibir a proliferação do novo coronavírus no Estado. Os EPIs serão destinados aos agentes da segurança pública e outros servidores que atuam na Fundação Hemopa, Lacen, Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará e Polícia Federal, por exemplo. Todo o material totalizou um investimento de cerca de R$ 1.943.518 e foi adquirido pela Segup para a proteção dos agentes públicos que atuam em atividades essenciais e não podem parar de trabalhar em prol da população paraense. A ação visa oferecer o máximo de segurança aos agentes no desempenho de suas funções.