Governo do Pará agiliza trabalho de remoção com serviço móvel de verificação de óbito

Declaração de óbito é emitida pelo médico no local da ocorrência

10/05/2020 18h06 - Atualizada em 11/05/2020 09h57
Por Dayane Baía (SECOM)

O Governo do Pará mudou a estratégia de identificação de mortes por causas naturais em domicílio. Com a modalidade móvel do Serviço de Verificação de Óbito (SVO), de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), já foram liberados pelo menos 40 corpos, desde a mudança ocorrida na última quinta-feira (7).

A duração média dos procedimentos de identificação, análise e declaração de óbito é de 40 minutos. A declaração de óbito é emitida pelo médico no local da ocorrência, eliminando assim a necessidade de enviar o corpo ao SVO que funciona no mesmo prédio do Instituto Médico Legal (IML).

A medida foi tomada diante do alto fluxo causado pela pandemia de Covid-19. Antes da implantação do serviço de equipes médicas móveis, era intensa a movimentação de pessoas e carros funerários em frente ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC). Com a mudança, o número de veículos começou a reduzir, permitindo também o fluxo de outras demandas de identificação e liberação.

"Grande parte dos carros funerários em frente ao CPC eram para a retirada dos corpos que vinham de residências. Ainda tinha que fazer a declaração de óbito e preencher outros documentos. Agora não precisa, pois a equipe volante já está fazendo", disse Celso Mascarenhas, diretor do CPCRC.

Apesar da rapidez e comodidade aos familiares, o acionamento da remoção em domicílio segue o mesmo trâmite existente. A família deve se dirigir a delegacia mais próxima de sua casa para fazer o boletim de ocorrência e, assim, a autoridade policial acionar o SVO.