Custodiados do Estado produzem cavaletes de sinalização de trânsito

Material será usado por órgãos de segurança durante fiscalização de lockdown no Pará

09/05/2020 16h05
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Para contribuir com as ações de fiscalização e controle de isolamento social, realizadas durante o período de lockdown - isolamento total devido a pandemia da covid-19, custodiados da Central de Triagem Metropolitana II (CTM II), em Ananindeua, iniciaram a confecção de 50 cavaletes de sinalização de trânsito, neste sábado (9). Os equipamentos serão entregues aos órgãos de segurança pública do Estado. O trabalho é coordenado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio da Diretoria de Reinserção Social. 

Os cavaletes são produzidos por meio do trabalho de marcenaria, feito por internos capacitados por cursos profissionalizantes oferecidos pela Seap. Os insumos necessários para a confecção dos materiais foram adquiridos a partir de doação feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), que disponibilizou 25 m³ de madeira apreendida, já com autorização de uso. 

Os materiais serão distribuídos aos órgãos que compõem a Segup, como Polícia Militar, Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), Corpo de Bombeiros e Polícia Civil. Estes serão responsáveis, a partir de domingo (10), por fiscalizar o cumprimento do decreto de lockdown implantado em Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia e Breves. Quem desrespeitar a regra de sair apenas para exercício de atividade essencial, estará sujeito a multa de R$ 150,00.

O secretário de Administração Penitenciária, Jarbas Vasconcelos, ressalta que a ação serve como benefício tanto para a fiscalização das novas regras de lockdown, quanto para a vida dos custodiados que podem trabalhar durante o cumprimento da pena. "Com isso, nós contribuímos para o combate a Covid-19 e também para a melhoria da qualidade de vida dos nossos internos", afirmou.

O diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado, fala da importância desse tipo de trabalho para a população paraense. “A nossa expectativa é de contribuir com essa ação a partir da fabricação desses cavaletes. É apenas uma pequena parcela de contribuição, mas que é muito gratificante e importante dentro desse trabalho da segurança pública”, disse.

Na próxima semana, mais 50 cavaletes serão produzidos pelos custodiados. Todos os internos que participam do trabalho estão munidos de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para prevenir o contágio do novo coronavírus e garantir a proteção contra acidentes de trabalho.