Medidas de proteção à saúde são intensificadas em obras de mobilidade urbana 

Diante do novo coronavírus, Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano reforçou protocolos junto às empresas executoras

10/04/2020 13h13 - Atualizada em 10/04/2020 14h12
Por Michelle Daniel (NGTM)

Saúde dos trabalhadores é monitorada com a presença de medidores de temperatura e pressãoDiante do cenário de pandemia e seguindo todos os decretos do governador Helder Barbalho, além das recomendações de saúde, o Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) tem intensificado as orientações junto às empresas executoras de obras de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belém. Os serviços são de interesse social com o objetivo de melhorar o sistema viário e trazer benefícios para a vida da população.

Para que os trabalhos prossigam com segurança, todos os cuidados de proteção à saúde estão sendo tratados como prioridade no andamento dos serviços. São dadas orientações quanto à higienização, utilização dos equipamentos necessários, além de evitar aglomerações.

“Essas obras que estão sendo executadas são de grande repercussão e relevância social para a Região Metropolitana de Belém, que visam a qualidade de vida das pessoas quando estiverem concluídas. Além disso, no caso da BR-316, os recursos de financiamento são externos, do Japão, com prazo de execução e desembolso. Portanto, as obras prosseguem com todos os cuidados redobrados na prevenção, conforme às recomendações das autoridades” - engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor-geral do NGTM.

Todos os canteiros de obras estão sendo desinfectadosCuidados – No canteiro de obras da BR-316, há um mapeamento constante da condição de saúde dos trabalhadores com a presença de medidores de temperatura e pressão. Cerca de 30 funcionários do grupo de risco foram afastados por apresentarem condições de saúde vulneráveis. Foram reforçadas também a limpeza e desinfecção dos espaços utilizados pelos trabalhadores, foram instalados vários pontos de dispensadores de álcool gel e ocorre a higienização dos veículos de transporte coletivo da obra. Reuniões presenciais estão sendo evitadas; no refeitório, está sendo mantido o uso intercalado entre assentos; utilização rigorosa do equipamento de proteção individual (EPI), como luva, bota, máscara, óculos e avental impermeável; além da constante campanha de orientação.

Já nas obras da rodovia do Tapanã e rua Yamada, houve mudança nos turnos do almoço para evitar a aglomeração dos trabalhadores no refeitório, desinfecção do canteiro de obras e aumento no número de lavatórios. Funcionários que fazem parte do grupo de risco estão afastados do trabalho e quem apresenta algum problema de saúde é conduzido ao médico da empresa para avaliação.

Mais lavatórios foram disponibilizados aos funcionários para que possam higienizar as mãosStatus – Na BR-316, as obras ocorrem do Entroncamento até o início de Marituba, com a construção da estrutura de concreto, montagem da estrutura metálica e lajes dos pavimentos do Terminal de Integração de Ananindeua. No mesmo trecho, na altura do km 7, também segue a construção do viaduto que está na fase de execução dos pilares de apoio do vão central. Além disso, estão sendo executadas as estacas de concreto para os túneis de acesso às plataformas do terminal.

Localizado no complexo do Comando Geral da Polícia Militar, na avenida Augusto Montenegro, também está sendo construído o prédio do Centro de Controle Operacional (CCO), na fase da estrutura do segundo pavimento e das fundações dos prédios auxiliares.

Ainda ao longo da BR, estão em construção no canteiro central, as estruturas metálicas dos diversos conjuntos de estações de passageiros. Paralelo à isso, continuam ocorrendo os remanejamentos de interferências para a construção de passarelas de pedestres, incluindo as mudanças de paradas de ônibus.

No refeitório, está sendo mantido o uso intercalado entre assentosO NGTM trabalha ainda na conclusão da rodovia do Tapanã, em Belém. A previsão de entrega é até o final deste semestre, com a via duplicada, pavimentada e sinalizada. Trata-se de um corredor de transporte importante da capital paraense e que interliga a outras vias, como as avenidas Augusto Montenegro, Centenário e Arthur Bernardes. São quase 5 quilômetros de obras e com a entrega da rodovia, cerca de 500 mil pessoas serão beneficiadas.

No prolongamento da avenida João Paulo II, está sendo realizada recuperação do sistema de iluminação pública para garantir maior segurança no tráfego. O serviço foi necessário devido a inúmeros furtos de fiação elétrica e luminárias em diversos pontos da via. E também há serviços de drenagem e pavimentação em dezenas de ruas no bairro Águas Lindas, dentro do município de Ananindeua.