Internos realizam desinfecção dos órgãos de Segurança Pública do Pará

Limpeza será feita em seis repartições do Sieds, até o próximo dia 15, segundo cronograma estabelecido

08/04/2020 12h29 - Atualizada em 08/04/2020 13h55
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Ação foi iniciada na Delegacia Geral da Polícia Civil, em BelémCumprindo com as instruções da Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto às medidas preventivas ao novo Coronavírus, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Sepa) realiza, a partir desta quarta-feira (8), a limpeza e a desinfecção dos órgãos que compõem o Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sieds).

A ação é feita por 20 custodiados em regime semiaberto da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (Cpasi). Iniciada na Delegacia Geral da Polícia Civil, em Belém, a limpeza contemplará ainda outros cinco órgãos do Sieds, segundo cronograma estabelecido, até o próximo dia 15. 

Os custodiados envolvidos atuam de forma voluntária e recebem todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários à segurança, como óculos, botas, luvas, máscaras e trajes próprios para a desinfecção.

"Ver os custodiados do sistema prisional contribuindo na limpeza e desinfecção de órgãos públicos, atuando no combate a pandemia do Covid-19, demonstra o desejo e a vontade que eles têm de se reinserirem socialmente e, para garantir a segurança no trabalho e resguardar a saúde dessas pessoas, tomamos o cuidado de providenciar equipamentos de proteção individual para todos, de acordo com as atividades desenvolvidas. Todos que aqui estão são voluntários, que trabalham pela remição da pena, a qual garantimos nas diretrizes da Lei de Execução Penal", afirma Belchior Machado, diretor de Reinserção Social.

A Seap, por meio do trabalho prisional, atua na reinserção social e no combate à Covid-19, com os cuidados necessários à saúde de todos e na prevenção quanto a casos no sistema prisional. Segundo a diretora de Assistência Biopsicossocial (DAB), Sandra Costa, os custodiados envolvidos nas ações externas permanecem afastados dos demais por 15 dias, para avaliação, quando retornam ao cárcere. A medida funciona de forma preventiva e está prevista no protocolo desenvolvido pela Seap de combate ao Coronavírus nas unidades penitenciárias.