Projeto da Emater pode triplicar produção leiteira em Conceição do Araguaia

03/04/2020 15h50 - Atualizada em 03/04/2020 17h04
Por Aline Miranda (EMATER)

As 15 famílias que fazem parte do projeto-piloto Leite Araguaia, do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) de Conceição do Araguaia, no sudeste do Pará, estão experimentando uma variedade especial de capim para suplementar a alimentação dos rebanhos.

“BRS capiaçu”, desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), é um clone do capim “elefante” e apresenta alto rendimento para suplementação volumosa na forma de silagem ou picado verde, além de baixo custo em relação ao que se costuma usar: milho e cana-de-açúcar. De acordo com dados da Emater, o “BRS capiaçu” chega a custar 57% menos do que o milho, e seu valor nutricional também é considerável: 11% de proteína. 

Cada produtor recebeu do Projeto mudas suficientes para plantio em três hectares e possibilidade de multiplicação do material genético em 90 dias. 

A expectativa é que, com a utilização dessas medidas, em três anos, a produção de leite por meio do projeto Leite Araguaia, implantado em março de 2019 em parceria com a Prefeitura e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), chegue a triplicar. 

A meta é ambiciosa, porém plenamente possível - é o que avalia o chefe do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária, Leandro Santos. "Das 15 famílias, cada uma possui, em média, uma propriedade de 50 hectares, com 20 animais em lactação e produção diária de 120 litros de leite, com foco não só no leite em si, mas na agroindustrialização como um todo, com o incremento de renda e segurança alimentar dos vários produtos associáveis à pecuária leiteira", explicou.

Leandro Santos e seu Paulo Sérgio Pereira, Chácara Sonho Meu“É uma média boa mas, com toda a aplicação de tecnologia, crédito, assistência, gestão de propriedades e organização de sistemas de produção, planejamos que, em um espaço de três anos, aumentemos para 300 litros. O grupo com que estamos trabalhando de forma mais específica é para servir de propriedades-modelo: quando as comunidades virem que está dando certo, que é viável, sim; que, se um consegue, o outro também conseguirá, vamos todos fazer dar certo”, comemora o técnico da Emater. 

Sobre o crédito, a contemplação é da linha "Mais Alimentos", de até R$ 160 mil, pelo Banco do Brasil (BB), para reforma ou construção de cerca, estrutura, pastagens e compra de matrizes e reprodutores com melhoramento genético.