Servidores do HC participam da elaboração de nota técnica sobre o novo coronavírus

Informação foi produzida em conjunto com profissionais de todo o Brasil

02/04/2020 14h55 - Atualizada em 02/04/2020 15h34
Por Melina Marcelino (HC)

Os hospitais precisam estar preparados para a pandemia do novo coronavírus e necessitam de métodos para gerenciar seus espaços, equipes e suprimentos para que o melhor cuidado seja oferecido aos pacientes. Nesse contexto, a Central de Material e Esterilização (CME) do Hospital das Clínicas Gaspar Vianna se destacou ao elaborar uma Nota Técnica com orientações específicas sobre procedimentos de prevenção contra o contágio da covid-19. Ofertando o cuidado transversal fundamental, presente em cada produto para a saúde, em todos os cenários, para todos os pacientes e profissionais da saúde.

Rosa Regina dos Santos e Ornilda Bezerra Bandeira, servidoras que participaram da elaboração da nota técnicaDuas servidoras da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV), as enfermeiras Rosa Regina dos Santos e Ornilda Bezerra Bandeira, foram convidadas pela NasceCME para integrar a equipe formada por profissionais de todo o país, que elaborou a nota técnica.

“A nota técnica foi uma iniciativa da NasceCME (Núcleo de Assessoria, Capacitação e Especialização voltado à Central de Material e Esterilização e outras áreas dentro do Hospital), organização pioneira na divulgação dos assuntos referentes à CME, educação, e o esclarecimento de dúvidas e benefícios voltados a saúde dos pacientes e da população em geral. Com o aumento dos casos de covid-19 no Brasil, a organização percebeu a necessidade de elaborar uma nota voltada para as Centrais de Esterilização, por que todas as normativas estavam muito em função da assistência”, informou a enfermeira Rosa Regina dos Santos.

O documento é produto do trabalho dos profissionais de Enfermagem das CMEs que repercute diretamente na saúde. A nota destaca que o número e tipo de itens processados na CME acompanha diretamente o movimento das internações e da gravidade dos pacientes, o que requer leitos de terapia intensiva e suporte ventilatório. A nota pede que deverá haver tempo e recursos necessários para o Processamento dos Produtos para Saúde (PPS) com alta demanda. As equipes devem ser capacitadas para a compreensão dos riscos de forma a seguir rigorosamente os protocolos instituídos. A nota orienta que o planejamento cuidadoso de recursos poderá garantir que haja suprimentos suficientes e trabalhadores experientes durante uma epidemia. Um alerta da nota é que acelerar os processos pode colocar em risco pacientes e funcionários.  

Clique aqui e tenha acesso a Nota Técnica

Imagem da capa da nota ténicaNa FHCGV, a Central de Material e Esterilização (CME) é o setor responsável pela prevenção e controle da infecção hospitalar, por meio do Processamento dos Produtos para Saúde (PPS). Os profissionais que trabalham na CME cuidam desde a chegada do material utilizado pelos demais profissionais do hospital até a distribuição do material para os demais procedimentos hospitalares. 

Segundo a enfermeira da CME, Rosa Regina dos Santos, “as orientações   estão sendo realizadas diariamente pelos enfermeiros da CME com os profissionais de saúde de outros setores, através de ações educativas. Os profissionais da CME também recebem treinamento diário, em reuniões no início de cada turno de trabalho. Tais medidas visam a proteção dos profissionais e dos outros setores em relação  ao acondicionamento, transporte e processamento dos materiais”, esclarece a enfermeira.