Polícia Civil reforça a importância da prevenção contra crimes cibernéticos

Doença tem sido tema de golpes em sites e aplicativos para obtenção de dados pessoais e invasão de contas bancárias

01/04/2020 16h33 - Atualizada em 01/04/2020 17h33
Por Dayane Baía (SECOM)

Nesse período de incertezas por conta da pandemia do novo coronavírus, multiplicam-se informações equivocadas e golpes relacionados a falsas campanhas de doações e cadastros para recebimentos de eventuais benefícios. Além disso, para evitar aglomerações em bancos e lojas, a população está utilizando a tecnologia a seu favor para realizar operações financeiras de forma remota. Para alertar sobre golpes e ameaças cibernéticas, o Governo do Pará, por meio da Polícia Civil, orienta a população quanto à importância de manter uma postura preventiva.

O delegado geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, destaca o exemplo de um caso ocorrido no último dia 30, em que o proprietário de um cybercafé estava utilizando um programa governamental para obter informações pessoais e vantagem pecuniária. Averiguada a denúncia, ele foi detido e levado para registro de um termo circunstanciado de ocorrência (TCO).

"O cidadão que se sentir lesado por esse tipo de crime deve nos procurar ou acessar a nossa delegacia virtual para fazer o registro, que a partir daí nós vamos adotar as providências para identificar quem são essas pessoas que criam essas páginas ou que estão disseminando links maliciosos pela rede de computadores”, informou. 

Pessoas que não têm familiaridade com transações bancárias por meio de aplicativos e compras virtuais devem redobrar os cuidados para não cair em armadilhas de oportunistas. Da mesma forma, nessa época em que se acende a solidariedade, a comunidade precisa estar atenta a pedidos falsos de doações, bem como a pedido de cadastros para recebimento de benefícios. As consequências dos golpes podem ir desde a infecção de celulares, a invasão de contas bancárias e sequestro de dados pessoais.

Para evitar esses problemas, a Polícia Civil orienta que os equipamentos possuam um antivírus de qualidade, devidamente atualizado, para blindar eventuais invasores de links maliciosos, e que os proprietários dos aparelhos tomem cuidado com as permissões concedidas. ”É importante também, no caso do aparelho celular, que a gente mantenha sempre a configuração de segurança em duas etapas. São algumas atitudes pequenas com as quais você já consegue proteger os seus equipamentos", orienta.

Outra medida citada pelo delegado é o cuidado ao acessar links de empresas ou de bancos. "Certifique-se de que realmente se trata da página da instituição ou empresa que você está acessando porque, infelizmente, em algumas situações estão sendo criadas páginas falsas para induzir a pessoa a utilizá-la e, a partir daí, aplicar o golpe”, recomenda. 

Outra preocupação em tempos de pandemia é com a disseminação de informações falsas, as famosas fake news. O compartilhamento de boatos estimula a desinformação e pode gerar pânico desnecessário. Essas informações podem chegar em forma de falsos benefícios como cortesia de serviços de streaming pelo período da pandemia e recursos para compra de materiais de proteção ao coronavírus.

Para escapar desses golpes, o cidadão deve sempre desconfiar de mensagens sensacionalistas e imediatistas, e sempre checar nos sites oficiais. “Vá ao site oficial da empresa, certifique-se em relação ao endereço, às questões de segurança da página, pequenos detalhes e símbolos que, às vezes, eles não conseguem reproduzir de forma idêntica. A partir do momento que você adota esses cuidados, está diminuindo e muito a possibilidade de sofrer um ataque ou ser enganado por meio virtual”, finaliza Alberto Teixeira.