Emater discute fortalecimento de linhas de crédito para agricultores do Acará

13/03/2020 15h15
Por Rodrigo Reis (EMATER)

O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) no município de Acará, região nordeste, participou de reunião com representantes do Banco da Amazônia para discutir o fortalecimento e expansão das linhas de créditos para agricultores locais. O encontro ocorreu no último dia 12 e teve como foco o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), destinado a financiar atividades e serviços agropecuários e não agropecuários de agricultores. 

De acordo com o chefe local de Acará, Hiran Araújo, o escritório local possui cerca de 1,1 mil famílias cadastradas. A maioria, trabalha com mandioca, açaí, avicultura e cacau. A proposta é percorrer várias comunidades para levar informações sobre os serviços prestados pela Emater, e principalmente sobre as linhas de crédito que eles podem acessar. 

“Faremos reuniões em parceria com a instituição financeira para divulgar, mobilizar e orientar sobre o acesso ao crédito rural e também para falar sobre renegociações de dívidas”, explicou.

Os agricultores do município também desenvolvem trabalhos com a pimenta do reino, abacaxi, criação de gado, abelha, suinocultura, piscicultura, horticultura, pesca artesanal e artesanato. 

No próximo dia 27, Emater e Banco da Amazônia vão se reunir novamente para planejar as primeiras ações nas comunidades locais. De acordo com o gerente do Basa no município, Alessandro Pereira, a previsão é que sejam aplicados mais de R$ 50 milhões em projetos de créditos para agricultura familiar em Acará e nos municípios próximos como Tome-Acu, Concórdia do Pará e Bujaru. 

“São valores expressivos e que com certeza farão a diferença no dia a dia do agricultor, movimentando a economia e gerando emprego e renda. A parceria com a Emater é importante para fazer esta mobilização junto aos agricultores”, garante.

O gerente afirmou, ainda, que o município encontra-se abaixo da inadimplência com percentual de 4,29% possibilitando o município a operar com as linhas de crédito Pronaf Mais Alimentos (com financiamento de até R$ 90 mil) e Pronaf Floresta (com financiamentos de até R$ 60 mil), abrangendo também cooperativas. 

“Isso dá uma margem muito boa para que a Emater e Banco da Amazônia trabalhem com ótimas perspectivas de financiamentos para os agricultores da região”, finaliza Hiran Araújo, chefe local de Acará.

Pronaf – A partir do “Mais Alimentos”, o produtor rural passa a ter acesso a empréstimo rural para investir na sua produção, aumentar a produtividade e reduzir os custos, visando a elevação da renda familiar e favorecendo o agronegócio. O “Floresta” se destina a investimentos em sistemas agroflorestais, exploração extrativista ecologicamente sustentável e plano de manejo florestal.