Governador acompanha vistoria em ponte do Outeiro

Balsa colidiu com a estrutura na manhã desta segunda. Local está liberado para carros pequenos e coletivos

09/03/2020 13h52 - Atualizada em 09/03/2020 15h00
Por Larissa Noguchi (SECOM)

Helder Barbalho e o secretário de Transportes, Pádua AndradeO governador do Pará, Helder Barbalho, acompanhou a vistoria do Corpo de Bombeiros do Pará e Secretaria de Estado de Transportes (Setran), após uma balsa colidir com a ponte de Outeiro, na manhã desta segunda-feira (9).

“Neste momento, a conclusão é que a colisão não compromete a estrutura da ponte. O fluxo de carros pequenos e coletivo já está liberado e o de cargas, não, só apenas depois de uma análise precisa que iniciará agora no início da tarde” - governador Helder Barbalho.

Desde o primeiro momento, bombeiros acompanham e monitoram a estrutura da ponteUma equipe do Corpo de Bombeiros estava nas proximidades da ponte quando viu uma movimentação de ribeirinhos e, imediatamente, interditou a área e acionou apoio. “Era por volta de 10h quando a nossa equipe viu os ribeirinhos se aproximando de uma balsa. Agora, será necessário uma perícia técnica para concluir de fato os riscos”, disse o comandante de Operações Especiais do Corpo de Bombeiros, coronel Pinheiro. 

Segundo as primeiras informações da guarnição, que fez a interrupção imediata de tráfego da ponte, a balsa “Josima IX” colidiu com um dos pilares e, na sequência, um empurrador conseguiu fazer a retirada do flutuante, que chegou a ficar atravessado no rio.

O secretário de Estado de Transporte, Pádua Andrade, informou que a ponte foi construída na década de 80 e já estavam previstas obras de requalificação. “Já temos um diagnóstico prévio, houve a colisão de uma balsa desgovernada e já existe um planejamento de obra pra essa ponte. Vamos acelerar o projeto das obras para que a gente possa iniciar o processo de contratação”, reforçou.

Uma vistoria técnica mais apurada será feita nas próximas horas para elaborar um parecer técnico sobre o pilar que foi atingido. A Capitania dos Portos está investigando a empresa responsável pela balsa, identificada como J. Sabino.