Belém terá II Marcha contra o Trabalho Infantil no próximo domingo (1º)

28/02/2020 14h38 - Atualizada em 28/02/2020 17h42
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Com o objetivo de denunciar e sensibilizar as pessoas quanto à exploração do trabalho de crianças e adolescentes, acontecerá, no próximo domingo (1º), a partir das 8h, a II Marcha de Belém contra o Trabalho Infantil. A concentração será na Escadinha Cais do Porto, na Praça Pedro Teixeira, ao lado da Estação das Docas. A caminhada seguirá pela Avenida Presidente Vargas até o Largo do Redondo, na Avenida Nazaré, esquina da Travessa Quintino Bocaiúva.

Coletiva de imprensa da segunda marcha contra trabalho infantil“A defesa da criança e do adolescente é dever de todos nós. Cada um deve contribuir para uma sociedade onde eles tenham o direito de brincar, estudar, ser e viver como criança”, é o que afirma a desembargadora do trabalho, Zuíla Dutra. Por isso, ela ressalta a importância do apoio do Governo do Estado na construção dessa sociedade. “A participação efetiva do Estado nessa luta é fundamental para mostrar para a sociedade que todos nós queremos uma vida diferente para as nossas crianças e adolescentes. Somente a união de forças é capaz de derrotar o trabalho infantil”, garante. 

“Será um momento de demonstração de força, de união e de denúncia dos males do trabalho infantil. Só temos a agradecer pelo apoio do Governo do Estado, especialmente pelo apoio da primeira-dama Daniela Barbalho, por todo o apoio que recebemos desde o início dessa luta, para realizar esse evento tão grandioso”, afirmou a juíza Vanilza Malcher. 

De acordo com a Presidente do ParaPaz, Ray Tavares, conforme pesquisa do Dieese, o Pará registrou queda de 5% na exploração do trabalho infantil em 2019, um dado muito positivo. “Há uma soma de esforços entre os órgãos do governo para que esse índice continue diminuindo. E a II Marcha é muito importante nesse processo. Estaremos presentes, mobilizando, investindo em materiais para sensibilizar a comunidade, conscientizando os órgãos, trabalhando na logística e segurança do evento”, garante a Presidente.

“Nós temos muitas políticas públicas que garantem os direitos das crianças e adolescentes. Podemos destacar o 'Mover', que assegura o cumprimento do Estatuto da Criança e Adolescente - ECA, assim como o Projeto TerPaz, que busca diminuir a vulnerabilidade social e a violência. Nossas políticas estão sendo fortalecidas para alcançar resultados ainda maiores”, afirma.  

Haverá uma força-tarefa integrada dos órgãos de segurança municipais e estaduais, para garantir a tranquilidade e organização da II Marcha. O Corpo de Bombeiros levará as crianças e adolescentes que participam do Programa Escola da Vida para participarem do evento, além de atuarem efetivamente no evento. “Serão três viaturas de salvamento e resgate disponíveis, assim como faremos  a vistoria e o acompanhamento dos trios elétricos para a segurança de quem participar do ato”, explica o Ten. Cel. Edinaldo Rabelo, sub comandante de operações do Corpo de Bombeiros. 

A expectativa é de que o número de participantes cresça nessa edição da Marcha. “Em 2015, na primeira Marcha, conseguimos reunir 30 mil pessoas. A nossa expectativa para esse ano é de 100 mil pessoas e estamos confiantes que podemos superar a nossa meta”, garante a desembargadora do trabalho, Zuíla Dutra.

A Marcha é iniciativa da Justiça do Trabalho da Oitava Região, por meio da Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil.