Sespa realiza ação de combate à hanseaníse em Ananindeua

A programação do TerPaz, no bairro Icuí-Guajará, inclui busca ativa de novos casos da doença

23/01/2020 18h38 - Atualizada em 24/01/2020 01h42
Por Roberta Vilanova (SESPA)

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realiza neste sábado (25), das 8 às 12 h, durante as atividades do Programa Territórios pela Paz (TerPaz), uma ação especial de combate à hanseníase no bairro Icuí-Guajará, em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém). A iniciativa faz parte da Campanha Janeiro Roxo, que visa conscientizar a população que a doença tem cura, quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento.

Numa parceria entre a Sespa e a Secretaria Municipal de Saúde de Ananindeua (Sesau), equipes de agentes visitaram 191 pacientes que tiveram hanseníase nos últimos dez anos no bairro do Icuí. O objetivo é convidar as famílias para comparecerem, no sábado, à Escola Maria de Nazaré, para serem examinadas por médicos hansenólogos.

O coordenador Estadual de Controle da Hanseníase, Bruno Pinheiro, ressaltou que diagnóstico e tratamento estão disponíveis no SUSSegundo o coordenador Estadual de Controle da Hanseníase, Bruno Pinheiro, “a ação é uma busca ativa de casos novos de hanseníase a partir de pessoas que tiveram contato com doentes nos últimos anos, pois o certo é avaliar anualmente, por pelo menos cinco anos, a família dos casos diagnosticados, para evitar que o agravamento da doença cause incapacidade física e deixe sequelas para o resto da vida. Portanto, o cuidado não pode se restringir ao paciente”, ressaltou.

Além do Icuí, ações do TerPaz serão realizadas simultaneamente nos bairros Cabanagem e Bengui, em Belém, e Nova União, em Marituba. A programação inclui atividades educativas e exames clínicos para diagnóstico da doença. “As palestras educativas são importantes para mostrar os principais sinais e sintomas da hanseníase, e ensinar às pessoas o autoexame, para identificação de lesões de pele suspeitas de hanseníase”, disse Bruno Pinheiro.

Para mostrar como esse trabalho vem dando resultado, na última ação do TerPaz , realizado no dia 18 nos bairros do Guamá, Jurunas, Terra Firme e Cabanagem, foram encontrados 74 casos suspeitos de hanseníase, dos quais três tiveram diagnóstico confirmado na mesma hora por médicos especialistas.

Em 2019 foram confirmados 2.164 novos casos de hanseníase no Pará. Portanto, as ações do TerPaz contribuem para o atendimento das pessoas que têm dificuldade em conseguir consulta para diagnóstico qualificado na rede básica de saúde.

Sinais e sintomas - A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, que afeta nervos e pele. Os principais sinais e sintomas da hanseníase são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo, com perda e alteração de sensibilidade ao quente ou frio, ao toque, à dor, na área da mancha; áreas com diminuição dos pelos e suor; dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e “agulhadas” em braços e pernas; inchaço de mãos e pés, dificuldade de fechar os olhos, perda de força em mãos e pés; feridas na planta dos pés; caroços no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.Cartaz de divulgação da Campanha Janeiro Roxo, de combate à hanseníase

O diagnóstico e o tratamento da hanseníase estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da Rede Básica de Saúde. “O tratamento dura seis meses nos casos iniciais, e 12 meses nos casos mais complicados. Os medicamentos são distribuídos gratuitamente”, informou Bruno Pinheiro.

Para casos que requeiram intervenções de média complexidade, o Estado dispõe de três Unidades de Referência Especializadas (URE), para onde os pacientes são encaminhados: URE Marcello Cândia, em Marituba; URE Demétrio Medrado, em Belém, e em Santarém (na região oeste). Todas elas oferecem, além do diagnóstico e tratamento, reabilitação aos pacientes, e funcionam sem lista de espera para atendimento.

Além de trabalhar no controle da doença, a Sespa, juntamente com as secretarias Municipais de Saúde, atua na reabilitação, reinserção social e laboral, e ainda no combate ao preconceito contra as pessoas com a doença. Quem está em tratamento não transmite a doença e pode levar uma vida normal.

A programação do TerPaz vai oferecer, ainda, consultas, encaminhamento para consultas e exames especializados, teste rápido de HIV, hepatite B e C, e sífilis, aferição de pressão arterial, atendimento odontológico e emissão de cartão nacional do SUS.

Serviço: Campanha Janeiro Roxo – Ações do TerPaz de combate à hanseníase, na Escola Maria de Nazaré, na Rua São Pedro, bairro Icuí-Guajará, em Ananindeua.