Moradores da área da ponte sobre o rio Meruú começaram a ser notificados

Estrutura terá quase 600 metros de extensão e está localizada na região do Baixo Tocantins

15/01/2020 10h26 - Atualizada em 15/01/2020 11h47
Por Kátia Aguiar (SETRAN)

Liberação do espaço é imprescindível para o início das obras de construção da ponteA Secretaria de Estado de Transportes (Setran) em ação conjunta com a Procuradora Geral do Estado (PGE) iniciou, nesta terça-feira (14), a notificação dos moradores da área de construção da ponte sobre o Meruú, na PA-151, em Igarapé Miri. São quatro moradores das áreas de desvios da ponte que, juntos, receberão mais de R$ 272 mil. Além deles, mais 53 pessoas da área de construção da ponte receberão o montante de R$ 423 mil em indenizações após a publicação do decreto de desapropriação da área.

Os moradores serão notificados e, partir de então, terão prazo de 15 dias para manifestação. Caso não aceitem os valores estipulados, serão adjudicados pela PGE, que estima um prazo de 45 dias para liberação dessa área.

A liberação da área de construção da ponte é imprescindível para o início da obra no local. A ponte que será construída terá 560,88 metros de extensão e está localizada na região do Baixo Tocantins. O prazo de entrega da ponte é dezembro de 2020. 

Vigas já estão sendo confeccionadas em canteiro afastado, para agilizar o andamento dos serviçosA obra foi anunciada no final da gestão passada, mas não pôde ser iniciada por pendências, que envolviam a falta de licença ambiental e a conclusão do processo de desapropriação de parte da área onde a ponte será instalada.

Para agilizar a obra no período das questões legais, a Setran constrói 70 vigas, que estão sendo confeccionadas em um canteiro afastado cerca de 10 quilômetros da ponte. A obra já tem as licenças emitidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

“A construção da ponte sobre o rio Meruú é uma antiga reivindicação dos moradores, para facilitar o deslocamento entre a Região Metropolitana de Belém e a margem esquerda do rio Tocantins, e os insumos advindos das produções dos municípios de Limoeiro do Ajuru, Cametá, Oeiras do Pará, Portel, Mocajuba, Baião e as vilas atendidas pela rodovia PA-151”, detalhou Pádua Andrade, titular da Setran.