Servidores do Iterpa recebem equipamentos de segurança e uniformes

Pela primeira vez, em 44 anos, materiais vão garantir segurança no trabalho de campo e coibir fraudes em regularização fundiária

23/12/2019 21h56 - Atualizada em 24/12/2019 02h19
Por Dayane Baía (SECOM)

Uma medida inédita na história do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), fundado em 1975, foi concretizada nesta segunda-feira (23). Em solenidade no Palácio do Governo, em Belém, o governador Helder Barbalho entregou a uma comissão de servidores do órgão uniformes e equipamentos de proteção individual (EPIs), que vão identificar as equipes de campo, garantindo a segurança física dos servidores públicos e a proteção da população contra fraudes.

O governador Helder Barbalho entrega à servidora do Iterpa os equipamentos de proteçãoDe acordo com o governador Helder Barbalho, o fortalecimento do Iterpa é decisivo para garantir a regularização fundiária e a segurança jurídica na posse de terras, com reflexos na redução de desmatamento e nas queimadas, além da potencialização do agronegócio. "Nós temos a absoluta convicção do protagonismo do Iterpa, e para isso estamos investindo na valorização dos servidores, estruturando o órgão, garantindo investimentos em tecnologia, para que sejamos capazes de ampliar a produção na celeridade adequada. São 50 servidores na atividade de campo, fazendo vistorias em áreas, verificação de terrenos, construindo a política fundiária de regularização de terras no nosso Estado", destacou o governador.

Os kits são compostos por camisas, botas, chapéus e equipamentos de proteção individual para auxiliar o trabalho de campo, informou a técnica em Gestão de Desenvolvimento Agrário e Fundiário, Gleicy Mercês Rocha de Albuquerque. “Nas gestões anteriores, nós não tínhamos esses equipamentos de proteção individual. No mato, temos a questão de animais peçonhentos. Com a altura da bota pode evitar acidentes, bem como as blusas de manga comprida para quando formos a campo, por conta do sol. Os bonés também, que vêm com a aba, e protegem também de mosquito", detalhou a técnica em Gestão.

O presidente do Iterpa, Bruno Kono, definiu a iniciativa do governo como ″um marco″ na história do InstitutoIdentidade funcional - A identificação também facilitará a proteção da população contra fraudes de pessoas que se passam por técnicos do órgão, orientando de forma equivocada e ludibriando os produtores em benefício próprio. "A identidade funcional é fundamental não apenas para proteger as ações do Iterpa, mas o próprio tomador do serviço público, que é a população. Através do uniforme funcional é possível saber que, de fato, é uma equipe do Iterpa que está lá, prestando serviço público, dando mais transparência e evitando qualquer tipo de uso indevido do órgão público”, frisou o presidente do Instituto, Bruno Kono.

"É um marco que nunca aconteceu na história do Iterpa. Uma ação coletiva entre gestão e os próprios servidores. Eles precisam desse cuidado, haja vista que trabalham em áreas inóspitas, em ações de regularização fundiária no meio rural, em áreas de conflito fundiário também. Então, minimamente temos que garantir a segurança dessas pessoas, um anseio de 44 anos", afirmou o presidente do Iterpa.