Dieese constata crescimento do emprego formal no Pará

O resultado de novembro, com mais de 23 mil admissões, está acima do percentual registrado na região Norte

19/12/2019 18h30 - Atualizada em 19/12/2019 21h25
Por Jackie Carrera (SECOM)

Um estudo elaborado e analisado pelo Dieese no Pará (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), com base em informações oficiais do Ministério da Economia e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), constata um ano de crescimento do emprego formal no Pará. Segundo o Dieese-PA, a elevação se mantém pelo sétimo mês consecutivo.

A indústria está entre os setores que mais contribuíram para a geração de vagas no mercado de trabalhoO saldo positivo mais recente foi registrado no mês de novembro, com 23.653 admissões contra 20.530 desligamentos, gerando um saldo positivo de 3.123 postos de trabalho no setor formal da economia. Isso representa um crescimento no emprego formal de 0,42%. Um resultado acima do saldo de toda a região Norte (+ 0,25%). Na análise dos estados, o Pará se destaca na geração de empregos.

No mesmo período do ano passado (novembro de 2018), o saldo também foi positivo (557 postos de trabalho), mas bem menor que o verificado este ano.

Quanto aos setores econômicos, o comércio se destaca no emprego formal, com saldo positivo de 2.493 postos de trabalho. Em seguida vem o setor de serviços (430 postos), agropecuária (129), serviços de indústria (62), extrativismo mineral (57) e Indústria de transformação (16).

Na região Norte, o Pará é o segundo estado que mais gerou empregos formaisBalanço anual – Além do comparativo de novembro, a pesquisa analisou o cenário dos últimos 12 meses (dezembro/2018 a novembro/2019), e constatou que houve um crescimento de 1,55% na geração de empregos formais no Estado. Em todo o período, foram 281.426 admissões contra 270.080 desligamentos, gerando um saldo de 11.346 vagas no mercado de trabalho. Os setores de comércio (6.467 postos) e serviços (6.216) se destacaram, seguidos pelo extrativismo mineral (1.446).

O mesmo balanço anual foi feito com os demais estados da região Norte. O resultado apontou o Pará como segundo no crescimento do emprego formal, ficando atrás apenas do Amazonas, com 12.982 empregos gerados.