Pará reafirma a importância da cooperação internacional em projetos socioambientais permanentes

O tema foi debatido dentro da programação da Conferência do Clima (COP 25) realizada em Madri, Espanha, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

10/12/2019 15h06 - Atualizada em 10/12/2019 15h48
Por Ronan Frias (SEMAS)

A importância dos investimentos internacionais para a efetivação dos projetos de preservação e desenvolvimento econômico sustentável na Amazônia foram abordados nesta terça-feira (10) pelo Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Mauro O’de Almeida, dentro da programação da Conferência do Clima (COP 25) realizada em Madri, Espanha, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“O discurso dos governadores é consistente do ponto de vista das diretrizes do que queremos. Agora, precisamos operacionar essas orientações e vocês que nos ouvem na plateia precisam nos ajudar nesse momento. Nós precisamos que esse conjunto de apoiadores nos auxilie a transformar as diretrizes em ações práticas”, enfatiza Mauro O’de Almeida.

A afirmação ocorreu dentro do painel Madri que teve como tema central “Parcerias para o desenvolvimento de negócios de baixo carbono”. O espaço foi criado com a intenção de promover o diálogo com a possibilidade de captação de investidores. O’de Almeida, também comentou aos participantes do painel a necessidade de implantação de medidas que gerem impactos positivos duradouros.

“Nós precisamos virar a chave dos projetos que são altruístas, mas que perdem folego com o tempo. Precisamos de políticas estatais que que fiquem permanentes a partir dos consensos ideológicos da região”

Dentro da programação oficial da COP 25, o governo do Estado do Para já apresentou aos investidores o Fundo Amazônia Oriental (FAO). A principal ferramenta de apoio internacional e nacional aos projetos no Pará foi criada pelo Estado em outubro deste ano. Um dos diferencias do FAO é a iniciativa contar com a participação da sociedade civil organizada dentro da composição que vai gerenciar os recursos arreceados além possibilidade de que os financiadores fazerem parte do gerenciamento.

Convidado a participar da conferencia climática, o Pará, explicou a comunidade internacional a macroestratégia paraense para elevar a um novo patamar o processo de produzir das cadeias vocacionais do estado do Pará, como a pecuária. A ‘Amazônia Agora’ tem como objetivo levar apoio técnico para o crescimento da produção sem a necessidade de abertura de novas área, possibilitando o surgimento de emprego e renda a sociedade. A iniciativa é pautada na sustentabilidade, uma vez que foca na baixa emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), relacionados ao aumento da temperatura global.