Polícia Civil deflagra operação para desmontar organização criminosa em Portel

A operação continua com a busca pelos acusados ainda não encontrados e com a investigação do material apreendido.

10/12/2019 14h59 - Atualizada em 10/12/2019 15h52
Por Igor Oliveira (SECOM)

Participaram da operação 60 agentes da Delegacia de Polícia de Portel, com apoio da Superintendência Regional do Marajó Ocidental, (NAI/Breves), Grupamento Fluvial e Polícia Militar.

A Polícia Civil do Estado do Pará (PC-PA) iniciou, nesta segunda (9), em Portel, região do Marajó, a operação “Apocalipse”, com o objetivo de cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão relativos a dois homicídios ocorridos no município, em setembro, e suspeitos de serem práticas de execução coordenadas por organização criminosa.


Foram deferidos pela justiça 14 mandados de prisão preventiva, 1 mandado de busca e apreensão de adolescente e 18 mandados de busca e apreensão. Ao todo 11 pessoas foram presas, sendo que 4 já se encontravam detidas por outros crimes, mas tiveram também a prisão decretada por terem ordenado ou executado os homicídios e integrarem grupo criminoso.

As investigações apuraram que a facção criminosa conhecida como "Comando Vermelho" ordenou os assassinatos e planejava a realização de outros crimes no município de Portel. O mandante e os executores dos homicídios foram identificados, assim como membros da organização.“Foram mortes planejadas para fortalecer a atuação do grupo no tráfico de drogas na cidade. Havia uma lista de alvos marcados com esse mesmo objetivo”, explica a delegada Vanessa Machado, superintendente da Polícia Civil na região.

Durante a operação, um homem resistiu ao cumprimento de mandado de prisão preventiva e reagiu com disparos, vindo a morrer no confronto com os policiais. Foi apurado que ele realizava o transporte de armas e drogas - além do planejamento de homicídios de policiais - sob ordens que vinham do grupo criminoso.

Foram apreendidas ainda 400 g de maconha prensada, uma arma artesanal calibre 32 e uma espingarda calibre 28, além de simulacros de armamentos utilizados para realizar assaltos na cidade.