Em Madri, conferência do Clima discute desmatamento na floresta com participação do Governo do Pará

Helder Barbalho participou ativamente das discussões e ressaltou a importância do Estado no combate ao desmatamento

09/12/2019 09h09 - Atualizada em 09/12/2019 10h00
Por Larissa Noguchi (SECOM)

Desde o último domingo (8) o governador do Pará, Helder Barbalho, participa em Madri, na Espanha, da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 25) de 2019. Na manhã desta segunda-feira (9), durante a continuidade do evento, foram discutidas iniciativas que promovam a prevenção ao desmatamento, as ações que vem sendo praticadas pelos estados da Amazônia, fundos de investimentos no combate ao desmatamento e a articulação de ONGs em prol da floresta foram os principais assuntos debatidos.

Com o tema “Enfrentando o desmatamento com o poder das parcerias” o governador do Pará, Helder Barbalho, discursou sobre o papel que o Estado tem de combater o desmatamento, já que é um dos mais ricos em biodiversidade e riquezas.

“O Pará tem absoluta dimensão da sua responsabilidade e do protagonismo que tem em relação ao desafio das mudanças climáticas. Ao mesmo tempo, também temos o compromisso da agenda do combate do desmatamento ilegal para manter nossa floresta em pé”. Helder Barbalho.

A delegação paraense que participa da COP 25 é composta por representantes socioambientais e fundiários que discutem as estratégias de desenvolvimento sustentável, baseadas no baixo consumo e emissão de gases de efeito estufa, ressaltando que o maior desafio, neste contexto, é manter a cadeia produtiva com a floresta viva.

“Temos em áreas de floresta preservada o território similar a duas Alemanhas e ao mesmo tempo, peculiaridade econômica como vocação histórica da mineração, as atividades do agronegócio – seja produção de grãos ou produção de proteína. Nós temos defendido como base econômica na estratégia do horizonte, que possamos efetivamente transformar a floresta em pé em uma nova commodity global”, ressaltou Helder.

Durante o debate sobre o financiamento das ações houve participação de entidades importantes da área de captação de recursos. “Vários investidores, várias instituições do terceiro setor, empresas e parceiros que têm a possibilidade de enviar recursos para o nosso Estado estiveram presentes nas discussões de hoje. Eles são potenciais investidores para o programa 'territórios sustentáveis' e também para o fundo da Amazônia Oriental. São parceiros que podem somar com as nossas iniciativas”, disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Mauro O'de Almeida.

A COP 25 acontece até a próxima sexta-feira e outros temas devem ser debatidos como capacitações, questões indígenas, preservação dos oceanos e de gênero. Também será debatido o fornecimento de financiamento e tecnologia para países em desenvolvimento.

Com o tema "Hora de Agir", o evento deste ano é um espaço internacional para que os líderes mundiais dialoguem sobre as ações frente às mudanças climáticas. A Organização das Nacções Unidas (ONU), responsável por realizar o evento, convidou o Pará, por meio de seu governador, para fazer parte das discussões.