Loja colaborativa chega à 'Pará Negócios' com apoio do Estado e do Sebrae

06/12/2019 20h10 - Atualizada em 06/12/2019 21h32
Por Carol Menezes (SECOM)

Com total apoio do Grupo de Trabalho de Estudos e Ações Relacionadas ao Transtorno do Espectro Autista, criado este ano pelo Governo do Pará, 230 mães e parentes de autistas vêm participando de eventos, feiras e demais espaços de economia criativa em Belém. Resultado da parceria técnica com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-Pará), o Mundo Azul Loja Colaborativa foi incluído no leque de oportunidades da Feira Pará Negócios, a maior do setor em toda a região Norte, que prossegue até 8 de dezembro (domingo), no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.

Estande da Mundo Azul Loja Colaborativa na Feira Pará Negócios, realizada no HangarDe trufas a broches para cabelo, revistas em quadrinhos a cartilhas educacionais adaptadas, o estande oferece uma enorme variedade de produtos criados por parentes e mães empreendedoras. Desse “Mundo Azul” também participam as crianças Lucas Quaresma e Carol Nóbrega, produzindo algumas das peças comercializadas no local. A ideia é mostrar que essas pessoas, que acabam saindo do mercado de trabalho por causa da atenção exigida pelo espectro autista, precisam ter uma fonte de renda e de oportunidades para desenvolver capacidades e talentos próprios.

No espaço, são os voluntários que atuam no contato com o público. Mônica Nascimento tem um sobrinho autista e participa da programação para divulgar as criações da sua mãe, cuja venda é totalmente revertida às despesas com o neto. "A grande maioria das mães hoje acaba produzindo dentro de casa, porque possui despesas e precisa da renda, e isso é o que guia esse empreendedorismo em conjunto", explicou Mônica Nascimento.

A "Mundo Azul" foi criada este ano e fez sua estreia durante a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, realizada no Hangar, entre agosto e setembro. Também participou da Feira de Artesanato Mundial/VII Feira do Artesanato Paraense 2019 (FAM/Fesarte), em novembro, e de outros eventos, e chega à Feira Pará Negócios ampliada e totalmente voltada ao empreendedorismo, graças à parceria com o Sebrae-PA.

Outra realidade - Membro do Grupo de Trabalho de Estudos e Ações Relacionadas ao Transtorno do Espectro Autista, Flávia Marçal, disse que ao verem a loja e tudo o que significa, as pessoas passam a ter outra visão dessa realidade. "Tenho percebido que é extremamente positiva a modificação do público e das próprias mães, que passam do luto, porque estamos falando de um diagnóstico que afeta a família como um todo, para a luta. E elas precisam desse suporte diferenciado. O apoio do Sebrae é fundamental, porque além do patrocínio há toda a assessoria técnica no intento mesmo de ampliar o alcance desse trabalho", ressaltou.

"Todo empreendedor, para nós, é igual. Não existia a menor possibilidade de não ajudarmos. Estamos falando de pessoas que têm jornadas duplas, triplas. Então, é nossa obrigação social cuidar e mostrar o diferencial, a capacidade que elas têm", frisou Rubens Magno Júnior, diretor-presidente do Sebrae-Pará. "O mercado está aí para todos, e é um orgulho para nós fazer parte dessa rede, proporcionar que essas mães e até que esses filhos se descubram produtores, empreendedores", enfatizou.