Seduc começa a preparar educadores para o ensino de tempo integral em 2020

04/12/2019 14h03 - Atualizada em 04/12/2019 18h44
Por Leidemar Oliveira (DETRAN)

O seminário é importante para a formação de educadores das USEs e UREsEducadores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) participam nesta semana do Seminário Interno sobre Flexibilização Curricular e a Formação Humana Integral no Ensino Médio, que abre um ciclo mais amplo de formação, que em 2020 envolverá as equipes da Secretaria Adjunta de Ensino (Saen), do Centro de Formação (Cefor) e do ProBNCC (Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular) etapa Ensino Médio, além de profissionais das escolas.

A programação foi iniciada na terça-feira (3) com a participação de especialistas da Saen, e continuou nesta quarta-feira (4) com educadores das USEs (Unidades Seduc na Escola) e UREs (Unidades Regionais de Educação).

A coordenadora do Ensino Médio da Seduc, Michele Alves, explicou que a formação dos especialistas é fundamental para que todos se apropriem do tema e se preparem melhor para acompanhar as escolas a partir do próximo ano.  Cabe às USEs e UREs o monitoramento das ações.Michele Alves, coordenadora de Ensino Médio, disse que a entrega ao CEE da proposta curricular do novo ensino médio deve ser em setembro de 2020

Flexibilização curricular - A Seduc pretende entregar a proposta curricular do novo ensino médio ao Conselho Estadual de Educação em setembro de 2020. “Estamos analisando todos os projetos de flexibilização curricular apresentados pelas escolas, com base nas diretrizes do novo ensino médio e com as especificidades do ensino por cada região do Pará”, informou Michele Alves.

Dentro do novo ensino médio, a Seduc discute a implementação do ensino de tempo integral. O Pará começou a oferecer essa modalidade de ensino nas escolas da rede estadual em 2017. Atualmente, das 258 unidades que aderiam ao novo ensino médio, 26 são de tempo integral, e as demais de ensino regular.

As unidades de ensino integral funcionam na Região Metropolitana de Belém e nos municípios de Marabá, Conceição do Araguaia, Redenção, Castanhal, Bragança, Maracanã, Tailândia, Abaetetuba e Barcarena. São escolas-piloto, selecionadas pelo Ministério da Educação (MEC), para avaliar o modelo de ensino-aprendizagem do Programa.Darcliene Correia, técnica da coordenação de Ensino Médio, destacou a ampliação do ensino proporcionada pelo tempo integral

Sintonia com a vida - O trabalho é orientado pelo Consórcio Desenvolvimento Integral no Pará, instituição selecionada para assessorar a Seduc na implementação do Programa de Fomento ao Tempo integral no Estado. A coordenadora de formação do Consórcio, Lilian Kelian, disse que a proposta é oferecer uma formação humana e integral para a juventude em sintonia com a vida, com as necessidades, possibilidades e interesses dos estudantes. No caso da formação para educadores, o objetivo do seminário é promover uma formação sistêmica com todos os grupos educacionais da rede estadual. “Entre as premissas de formação está a integração das concepções para o ensino médio, para o novo ensino médio e para o ensino médio em tempo integral”, explicou Lilian Kelian.A coordenadora de formação do Consórcio, Lilian Kelian, disse que o seminário visa promover uma formação sistêmica com todos os grupos educacionais da rede estadual

As unidades de tempo integral ampliam a jornada do aluno na escola, oferecendo atividades das 7h30 às 17h30, e possibilitando ao jovem experimentar várias atividades além da sala de aula, além de aplicar o aprendizado na própria escola.

“O ensino inicia na sala de aula e depois se amplia, de forma prática, para outros espaços pedagógicos, como laboratórios, oficinas, bibliotecas etc. Isso possibilita ao aluno usufruir de um circuito de aprendizagem na própria escola”, disse Darcliene Correia, técnica da Coordenação de Ensino Médio da Seduc e especialista do Programa de Fomento ao Tempo Integral.

Os educadores participam do seminário durante toda a semana