Projeto busca formação e ressocialização de jovens em conflito com a lei

Termo de cooperação foi assinado entre a Uepa e a Fasepa, para promoção de ações integradas

13/11/2019 08h41 - Atualizada em 13/11/2019 09h52
Por Ize Sena (UEPA)

Parceria foi pactuada por representantes da Universidade e da Fundação de Atendimento Socioeducativo do ParáO Projeto Inovart na Socioeducação, parceria entre a Universidade do Estado do Pará  (Uepa) e a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), foi lançado na tarde de terça-feira (12), no Campus III da Universidade, momento em que foi assinado o termo de cooperação entre as duas instituições. Um dos objetivos é integrar a unidade de ensino e a comunidade no processo de formação e ressocialização de adolescentes e jovens em conflito com a lei.

O projeto pretende atender, inicialmente, socioeducandos da Região Metropolitana de Belém e, posteriormente, seguir para os demais municípios onde haja campus da Uepa e unidades da Fasepa. Neste primeiro momento, o Inovart na Socioeducação conta com a participação de cinco professores e cerca de 10 estagiários, das áreas de Educação Física, Ciências Sociais e Música.

O objetivo é promover também a construção de uma cultura de paz e justiça social, por meio de atividades artísticas, culturais e esportivas. Para isso, a ideia é ofertar oficinas de esportes, com a formação de equipes de futebol de campo, vôlei, futebol de salão, entre outras. Na área de música, as atividades serão de violão, teclado, percussão, flauta e canto, com ações programadas para início já neste mês.

Para o reitor da Uepa, professor Rubens Cardoso, o Inovart modificará a autoestima do socioeducando. “Mudará a qualidade da percepção que eles têm sobre a vida de uma maneira geral, e também o comportamento, pela própria interação que eles vão ter com os acadêmicos, com um ambiente mais diferente, dinâmico, voltado para arte, esporte e cultura”, disse. 

A pró-reitora de Extensão da Uepa, Alba Lúcia Raithy, explicou a importância do Inovart. “Considerando que a universidade tem um viés de atendimento à sociedade, esse projeto oferece um cunho social. Através da nossa parceria, vamos trabalhar para que esses jovens sejam ressocializados e suas famílias atendidas também”, contou. 

Para o presidente da Fasepa, Miguel Fortunato, essa parceria fortalece dois dos principais eixos da socioeducação, que é o esporte e a cultura preconizados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

"Desenvolver essas ações no ambiente da Fasepa com o apoio e a expertise da Uepa será estratégico para a consolidação da política de atendimento socioeducativo. O objetivo é aplicar ensinamentos do esporte e da música de modo a desenvolver nos socioeducandos habilidades que eles levarão consigo por toda sua vida", explica Miguel. 

Lançamento contou com programação esportiva e cultural voltada para os jovensO lançamento contou com atividades ao longo do dia. Durante a manhã, cerca de 40 adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa participaram da programação aberta ao público, que incluiu atividaes esportivas e apresentações culturais de música e dança, além da feira de produção dos socioeducandos. Pela tarde, o diretor de Apoio à Extensão da Uepa, professor Osvando Alves, ministrou uma palestra sobre o projeto. 

O socioeducando de 17 anos, que há cinco meses está privado de liberdade, foi um dos jogadores no torneio de futsal. "Para muitas pessoas, a gente tá preso e é um monstro, só que as pessoas que trabalham na Fasepa vêem que a gente não é como as pessoas pensam. Eu achei muito boa essa atividade de hoje. A gente pensa que tá esquecido, mas tem pessoas de fora que querem ajudar, trazer a gente pra conviver com essas pessoas da universidade", afirmou o adolescente.

*Texto: Letícia Aleixo (Ascom Uepa) e Franklin Salvador (Ascom Fasepa)