Governo busca no exterior parcerias para fomentar o desenvolvimento sustentável

Helder Barbalho enfatiza importância de conciliar a floresta em pé com oportunidades de geração de renda para a população

18/10/2019 21h25 - Atualizada em 21/10/2019 11h31
Por Ronan Frias (SEMAS)

O governador Helder Barbalho defendeu nos Estados Unidos uma Amazônia preservada, mas com qualidade de vida para seus habitantesFazer do Pará um “grande encontro de ideias e soluções”, capazes de gerar renda para a população, mas sem degradar seus recursos naturais, foi o que enfatizou nesta sexta-feira (18) o governador Helder Barbalho, ao apresentar as potencialidades do Pará que podem resultar em crescimento socioambiental, por meio de parcerias com os participantes da Conferência Internacional “Amazonian Leapfroggin" - “Salto da Amazônia: visão de longo prazo para proteger a Amazônia para o Brasil e o planeta”, promovida pela Universidade de Princeton, em New Jersey, nos Estados Unidos.

"A vocação da floresta em pé, do agronegócio, da bioeconomia, e o olhar para o futuro com a preservação da floresta e cuidando das pessoas. Aqui, nós tivemos a oportunidade de dividir as discussões, os diagnósticos da situação em que estamos vivendo e o nível da responsabilidade que todos nós devemos ter com a preservação da floresta. Que o Pará, como síntese da Amazônia, possa mobilizar e acolher aquilo que está sendo pensado e produzido por este coletivo tão qualificado, com pessoas que querem melhorar o Brasil, a Amazônia e o mundo. Dessa forma, faremos do Pará um grande encontro de ideias e soluções. Assim, vamos gerar renda e desenvolvimento preservando a floresta”, afirmou o governador do Pará.

Aos acadêmicos e investidores do Terceiro Setor que participaram da Conferência internacional, na quinta e sexta-feira (17 e 18), Helder Barbalho explicou a realidade da região e os objetivos que devem ser seguidos para um futuro sustentável. "No Pará, temos uma área conservada de aproximadamente 74% do território. Mas existem desafios. Todos nós já internalizamos o nível do desafio. Nós precisamos encontrar as soluções, sob pena de ficarmos discutindo muitos conceitos, muitas ideias, mas na vida real nós corremos o risco de acabar voltando, ano a ano, com o desmatamento ilegal e a ampliação das mudanças climáticas, e todas as repercussões no meio ambiente e na sociedade. No âmbito institucional, nós queremos parcerias, defendemos a ciência, entendemos a nossa responsabilidade e queremos convidar e convocar todos aqueles que querem cooperar conosco na busca de soluções", assegurou o chefe do Executivo.

Fundo Amazônia - Único governador do Brasil a participar da Conferência Internacional, Helder Barbalho destacou também a constituição do Fundo Amazônia Oriental, criado nesta semana como estratégia de financiamento ambiental e instrumento de colaboração privada para o alcance de metas de políticas públicas sustentáveis, voltadas ao desenvolvimento dos estados. "Criamos o Fundo Amazônia Oriental com a intenção de possibilitar, quando não for possível o caminho com o Fundo Amazônia, que os estados subnacionais possam abrir diálogos e construções paralelas para viabilizar os projetos que queremos em nossos estados", explicou o governador paraense.

O evento foi realizado pela Universidade de Princeton, considerada uma das mais conceituadas do planeta pelo reconhecimento às ações desenvolvidas nas áreas de pesquisa e ensino. A instituição arcou com os custos do transporte do governador do Pará. Além de Helder Barbalho, participaram do evento o secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O’de Almeida; Isabella Teixeira, ex-ministra do Meio Ambiente; Daniel Azeredo, procurador federal no Pará; Almir Suruí, liderança indígena, e o apresentador Luciano Huck.

Investimentos internacionais - O Governo do Pará continua as tratativas internacionais para captação de recursos que possam ser investidos na preservação da floresta e também no desenvolvimento sustentável, beneficiando principalmente a sociedade. Hoje (18), representantes do Pará e de outros estados da Amazônia Legal se reuniram em Brasília (DF) com embaixadores da Noruega, Alemanha e Reino Unido, para negociar a reativação do Fundo Amazônia. Foi a segunda reunião sobre o assunto em cerca de 30 dias.

O apoio internacional para a preservação da Amazônia e o desenvolvimento de políticas públicas é um importante fator para a concretização de projetos e programas institucionais, como o “Territórios Sustentáveis”. A iniciativa do Governo do Pará busca, em médio prazo, diminuir o desmatamento nos municípios que concentram, atualmente, mais de 70% dos índices de derrubada da cobertura vegetal no Estado. Outra iniciativa do Executivo é a elaboração da Política Estadual de MudançaS e Adaptação Climática, voltada para atenuar os efeitos que impactam diretamente no clima.