Técnicos da Seaster participam de campanha contra o trabalho infantil

12/10/2019 23h26 - Atualizada em 13/10/2019 00h47
Por Rodrigo Sousa (SEASTER)

A equipe da Seaster distribuiu ventarolas alusivas à campanha pela erradicação do trabalho infantilCom o objetivo de conscientizar a sociedade sobre os males provocados pelo trabalho infantil, por meio de ações educativas, técnicos da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) participaram na noite deste sábado (12) da Trasladação, a romaria que antecede o Círio de Nazaré. A campanha deste ano destaca a educação de crianças e adolescentes como o caminho para a mudança de conceitos e perspectivas.

“As pessoas precisam entender que a criança deve estudar, e não trabalhar. A nossa intenção é trazer o tema para o debate e ocupar todos os lugares, pois o trabalho infantil é um problema de toda a sociedade, e os reflexos são sentidos por meio da violência e da evasão escolar, uma vez que o trabalho infantil retira as crianças das escolas”, enfatizou a juíza do Trabalho Vanilza Malcher, gestora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil.

A campanha aposta na educação como estrategia de combate à exploração do trabalho de crianças e adolescentesA participação da Seaster na campanha reafirmou o compromisso do Governo do Pará com a erradicação do trabalho infantil no Estado. “A escola é a porta de entrada para divulgarmos essa mensagem de valorização do futuro das nossas crianças. A Seaster monitora os 144 municípios paraenses, levando, por meio da sua equipe técnica, cursos e capacitação sobre as problemáticas do trabalho infantil, com o objetivo de impedir que utilizem crianças a adolescente para esse fim”, explicou a coordenadora de Proteção Social de Média Complexidade da Seaster, Kleidi Andrade.

Educação - Para o secretário Inocencio Gasparim, que também acompanhou o traslado da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, a educação é capaz de transformar as vidas de crianças e adolescentes. “Lutar e combater o trabalho infantil é nossa obrigação, e nenhuma arma é melhor que a educação. Conscientizar nossa população que a educação transforma vidas também é nossa obrigação. E para que alcancemos um maior número de pessoas nesta corrente, estamos aqui, participando de uma das procissões do Círio de Nazaré. Nesta caminhada de fé e devoção, deixamos a nossa mensagem: que venhamos juntos garantir um futuro digno a nós e às nossas crianças”, reiterou o titular da Seaster.

Durante o percurso entre o Colégio Gentil Bittencourt e a Catedral Metropolitana de Belém, voluntários, pais e alunos de escolas públicas distribuíram garrafas de água e ventarolas, vestindo a camiseta da campanha contra o trabalho infantil, pedindo o fim da exploração de crianças e adolescentes. Mais de 100 mil pessoas estão envolvidas, direta e indiretamente, na campanha.Servidores estaduais que participaram da mobilização

A ação é uma iniciativa do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT-8), em parceria com a Seaster; Ministério Público do Trabalho; Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalho Adolescente (FPETIPA); Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem e a Diretoria da Festa de Nazaré.