Município de Capanema recebe obras do Governo do Estado

11/10/2019 15h12 - Atualizada em 11/10/2019 16h06
Por Barbara Brilhante (SEDOP)

O hospital está em fase de conclusão e deve ser inaugurado até o final deste ano.Iniciam, na próxima segunda-feira (14), as obras do prédio anexo do Hospital Regional Público dos Caetés Dr. Jorge da Costa, localizado no município de Capanema, no nordeste do Estado, onde funcionará a policlínica do estabelecimento.

O hospital está em fase de conclusão e deve ser inaugurado até o final deste ano. Após o início das obras, a previsão é que a policlínica seja entregue à população em até 12 meses. O projeto é desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio do Termo de Cooperação Técnica firmado entre Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa).

Nesta quinta-feira (10), uma equipe técnica da Sedop esteve no terreno para acompanhar o início dos serviços. “Os trabalhos preliminares, de desobstrução e regularização da área, além da retirada das interferências, já foram realizados. Agora estamos no processo de contratação de mão de obra e instalação das obras”, explicou o secretário executivo da Sedop, Ruy Cabral.

Ao todo, o Governo do Estado investirá pouco mais de R$ 10,7 milhões nas obras da policlínica.A policlínica ofertará atendimento ginecológico, cadeiras para hemodiálise, exames de endoscopia, mecanoterapia, além de consultórios para clínica geral. A estrutura também será composta de auditório, biblioteca, vestuários e salas de telemedicina.

“O hospital atenderá à população de Capanema e de pelo menos 14 municípios do entorno. A tendência é desafogar os hospitais da capital do Estado e oferecer aos moradores um serviço médico de qualidade, mais próximo das suas residências”, complementou.

Ao todo, o Governo do Estado investirá pouco mais de R$ 10,7 milhões nas obras da policlínica.

Após o início das obras, a previsão é que a policlínica seja entregue à população em até 12 meses.

Área Comercial – Previsto para ser entregue até junho de 2020, o Shopping Popular do Município de Capanema, localizado no centro comercial da cidade, vai ofertar 54 boxes, destinados à comercialização de produtos, além de praça de alimentação formada por 8 quiosques.

“O projeto faz parte do conjunto de obras que vêm sendo retomadas pelo Governo do Estado, após seguirem paralisadas nos anos anteriores. O local vai dar uma cara mais moderna ao centro de Capanema e diminuir a quantidade de trabalhadores informais em vias da cidade”, explicou o secretário Ruy.

A autônoma Rosilene Epifânio trabalha há 16 anos no local, com a venda de comidas típicas. A barraca onde ela comercializa a alimentação é conhecida como “Restaurante Vitória”. Segundo ela, em média, por mês, a barraca rende um lucro de 2 mil reais, utilizado por ela para o sustento da família.

“Quando formos remanejados para dentro do Shopping, com uma estrutura mais adequada da que utilizamos hoje, acreditamos que no rendimento vai aumentar. Precisamos que esta obra seja entre o quanto antes”, disse.

A obra vai garantir a complementação da área, com a construção de mais 16 boxes, voltados para a comercialização de produtos, banheiros públicos e uma praça central.Além do shopping, o Governo do Estado deve entregar, até final deste ano, a revitalização e ampliação da Estação Comercial Pública de Capanema, também localizada no bairro Centro. Ao todo, devem ser investidos pela gestão, por meio do convênio firmado com a Caixa Econômica Federal, o valor de R$ 579 mil. A obra vai garantir a complementação da área, com a construção de mais 16 boxes, voltados para a comercialização de produtos, banheiros públicos e uma praça central.

Lazer – Até março de 2020, a população capanemense receberá finalizada a obra de construção da Praça da Bíblia, localizada no bairro Castanheira. A obra iniciou em 2014, porém seguiu paralisada até o momento. “Conseguimos retomar as obras há duas semanas. Identificamos que o projeto utilizado para a praça, anteriormente, tinha informações inconsistentes. Por isso, foi preciso sanar pendências anteriores, para seguir com as obras”, finalizou o secretário Ruy Cabral.