Governo repassa mais de R$ 760 mil a feirantes na semana do Círio de Nazaré

09/10/2019 19h17 - Atualizada em 10/10/2019 12h17
Por Larissa Noguchi (SECOM)

Há 57 anos, a feirante Valda Maria Ferreira trabalha vendendo ervas na feira do Bairro do Telégrafo, em Belém. Em quase seis décadas, ela não recebeu nenhum incentivo financeiro ou acesso a empréstimos, por conta do seu rendimento como autônoma. Mas no início desta semana, a feirante viu um novo horizonte se abrir com a aprovação de sua solicitação ao CredCidadão. “Foi um presente do Círio. É a primeira vez que sou contemplada. Pra nós, uma felicidade imensa. Agora vou poder comprar mais mercadoria e investir no equipamento de trabalho”, disse Valda Maria.

Nesta quarta-feira (09), o governador Helder Barbalho entregou a 264 feirantes recursos do CredCidadão, programa do governo estadual que oferece crédito ao microempreendedor que pretende ampliar sua atividade profissional. A maioria dos beneficiados trabalha no Mercado do Ver-o-Peso e em outros centros comerciais em Belém. Os recursos totalizam R$ 762.300,00. As ações do programa são organizadas e articuladas pelo Núcleo de Gerenciamento do Microempreendedor.

O valor do CredCidadão é definido de acordo com cada empreendimento, variando de R$ 500 a R$ 5 mil. “Foi um pedido do governador antecipar a liberação na semana do Círio, já que a economia do Estado fica aquecida. Cada empreendedor vai poder aplicar seus investimentos e faturar ainda mais”, frisou Tércio Nogueira, diretor-geral do CredCidadão.

Para Cinthia Soares, proprietária de uma pequena loja no Bairro do Marco, o recurso do CredCidadão será aplicado na aquisição de mercadorias para abastecer a loja para o Círio, e também impulsionar as vendas no final do ano. “Vou investir mais na confecção. É um crédito que muita gente estava esperando, que muita gente precisa pra melhorar as condições do seu negócio”, ressaltou a comerciante.

Os recursos atenderão até 528 postos de trabalho e 800 pessoas na rede contemplada. O governador ressaltou a importância de valorizar e acreditar nos pequenos empreendedores, e no incentivo à movimentação da economia. “É, seguramente, uma ação que fortalece essa atividade. Mais do que isso, gera renda, gera emprego, gera desenvolvimento e atende aos que mais precisam”, afirmou Helder Barbalho.

Critérios - Podem ter acesso ao crédito todas as pessoas que estão no mercado de trabalho ou pretendem iniciar uma atividade econômica. Para solicitar o benefício é preciso ser maior de 18 anos e residir há pelo menos dois anos no Pará; não ter restrições em cadastros, como SPC e Serasa, e nem na Receita Federal; possuir avalista com renda comprovada, para quem vai solicitar o crédito de forma individual. Para a solicitação em grupo, os avalistas devem fazer parte de organização social legalizada.

A taxa de juros é de 0,5% ao mês para iniciantes, membros de programas sociais, maiores de 65 anos e pessoais com deficiência. Para empreendedores com mais de seis meses na atividade, a taxa é de 1% ao mês.

O prazo para pagamento é de até 18 meses, dependendo da atividade e da análise do empreendimento. A carência pode ser de até um ano, conforme análise específica da atividade econômica.