Ideflor-Bio capacita agricultores em implantação de Sistemas Agroflorestais

19/09/2019 23h44 - Atualizada em 20/09/2019 09h46
Por Pryscila Margarido (IDEFLOR-BIO)

Vinte agricultores familiares dos municípios de Bonito, Bragança e Capanema, no nordeste paraense, participam até esta sexta-feira (20) da Capacitação em Implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs), iniciada na última segunda-feira (16), no município de Tomé-Açu, na mesma região. O evento é promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), por meio da Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF).

A capacitação integra o Projeto de Recomposição Florestal por meio de Sistemas Agroflorestais (Prosaf). Na prática, os agricultores familiares, que geralmente atuam com o cultivo de apenas um tipo de produto em suas propriedades rurais, a chamada cultura de domínio - como a mandioca -, terão a oportunidade de diversificar a produção, investindo em outras culturas, a partir do conhecimento adquirido no processo de capacitação do projeto. Uma equipe composta pelos técnicos da DDF, Daniel Francez, Estevam Coqueiro e Hanoica Caceres, realiza a atividade.

“No nordeste do Estado o hábito é sempre trabalhar com a mandioca, uma cultura anual, que o agricultor planta e leva um ano para colher. Só que ele precisa ter renda o ano todo”, ressaltou o diretor de Desenvolvimento da Cadeia Florestal, engenheiro agrônomo Kleber Perotes. “Com a constituição do Sistema Agroflorestal, esse agricultor ganha a oportunidade de não só plantar a mandioca. No mesmo espaço ele tem o milho, o arroz, o feijão e outras espécies de ciclo curto”, acrescentou.

Teoria e prática - Kleber Perotes ressaltou ainda que o diferencial do projeto é incorporar diversas atividades ao longo do processo. Os agricultores passam por cadastramento, seleção, visita aos lotes, participam da montagem de viveiros comunitários em seus municípios, de oficinas de produção de mudas, e agora experimentam a vivência dessa iniciativa com a capacitação em Sistemas Agroflorestais, um curso dividido em teoria e prática.

Um hectare de cada propriedade rural é beneficiado com a implantação do SAF. O objetivo é, com a diversificação da atividade nessas propriedades, que os agricultores tenham a possibilidade de melhorar suas condições sociais, ambientais e econômicas. “A capacitação é direcionada a agricultores familiares, beneficiários do Projeto Prosaf/Renascente, e tem como objetivo treinar os agricultores na implantação desse sistema produtivo”, reforçou o engenheiro florestal Estevam Coqueiro. 

Além dos agricultores, participam do evento técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Bonito. A atividade conta com o apoio da Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (Camta); da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental); da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater); da Secretaria Municipal de Agricultura de Tomé-Açu e outras instituições parceiras do projeto.