TerPaz promove palestra antidrogas para alunos da Cabanagem

13/09/2019 15h38 - Atualizada em 13/09/2019 16h32
Por Carol Menezes (SECOM)

A programação ocorreu na última quarta (11) e é uma das ações do Territórios Pela Paz (TerPaz).Os alunos do Ensino Médio e Fundamental da Escola Estadual Santana Marques, no bairro da Cabanagem, tiveram a oportunidade de assistir uma palestra sobre os perigos e riscos do consumo de drogas lícitas e ilícitas. Proferida pelo delegado Ivens Monteiro, da Polícia Civil, a programação ocorreu na última quarta (11) e é uma das ações do Territórios Pela Paz (TerPaz).

O projeto promove o enfrentamento da vulnerabilidade social e da violência a partir da articulação de ações de segurança pública e de cidadania em sete bairros da Grande Belém. E essa não foi a primeira vez que o TerPaz, iniciado em junho desse ano, se fez presente na escola. De acordo com a vice-diretora, Sheila Veiga, outras atividades envolvendo as pastas da Saúde (Sespa), do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e do Esporte e Lazer (Seel) alcançaram estudantes e seus familiares.

"Essa interação com a família que o programa do governo promove é muito interessante, dá a eles um acesso que não têm normalmente", reconheceu. Professora de Língua Portuguesa da escola, Roseni Sales contou sobre a preocupação em dividir os públicos, levando em consideração a estrutura física da unidade, para garantir o maior aproveitamento dessas atividades. "Em sala de aula a gente já fala sobre esses assuntos, orienta, mas quando vem alguém de fora, com outra vivência, eles têm a oportunidade de adquirir conhecimento em um nível mais concreto", avaliou.

O delegado Ivens Monteiro falou da importância do contato com este público.Usando vídeos e apresentações, Ivens falou, a um público muito visado pelo tráfico de entorpecentes e pelo mercado de bebidas alcoólicas e tabagista, sobre os malefícios causados pelo consumo destes, e do caminho sem volta que é a dependência química.

"A importância desse contato com eles é muito importante porque ocorre de, às vezes, a problemática já estar instalada, e é difícil para quem trabalha na área pedagógica fazer esse combate nesses casos. A visita das Polícias Civil e Militar nos locais de ensino para orientar e falar de prevenção é fundamental para quem está em formação", confirmou ele, que ministra esse tipo de palestras há quatro anos.

Marcos Humberto Ledo, de 17 anos, aprovou a iniciativa.Aluno do 3° ano do Ensino Médio, Marcos Humberto Ledo, 17, aprovou a iniciativa. "Esses momentos são importantes para a conscientização não só da comunidade estudantil, mas também da comunidade geral, porque isso abre a mente para entender a real dimensão dos danos causados, e não só no usuário, mas na família, na sociedade", justificou.

Colega de turma de Marco, Adrieni Martins, também de 17 anos, acredita que reforçar a prevenção e alertar para que não haja um primeiro contato com o universo das drogas é sempre necessário. "A gente vê nos noticiários o que acontece por causa de droga. Tráfico, roubo, morte, e a gente sempre conhece alguém, próximo ou não, que entrou nisso e teve problemas para sair. É preciso insistir que não tem futuro nenhum nisso", reforçou.