Ibraema renova com a Susipe projeto de alfabetização de presos

31/08/2019 00h29 - Atualizada em 31/08/2019 09h59
Por Vanessa Van Rooijen (SUSIPE)

O Instituto Brasileiro de Educação e Meio Ambiente (Ibraema) renovou a parceria com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) para o projeto de alfabetização "Tempo de ler". A continuidade do projeto foi comemorada durante a formação com 18 educadores, na manhã de sexta-feira (30), na Escola de Administração Penitenciária (EAP).

Para efetivar a renovação, um Termo de Cooperação Técnica foi assinado na tarde de sexta-feira (29), na presença de professores que trabalham nas unidades prisionais da Susipe. Os educadores também puderam tirar dúvidas sobre o projeto.

O "Tempo de Ler" é um projeto de alfabetização em que um recuperando passa por formação para alfabetizar outro interno. O projeto foi iniciado na Susipe em 2016, no Centro de Recuperação Feminino (CRF) de Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), e hoje já está em todas as unidades prisionais do Pará. O Ibraema doa todo o material didático e compartilha a metodologia para alfabetização de jovens e adultos.

Lindomar Carvalho, que atualmente é professora no Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC), manteve o contato com o Instituto e propôs a parceria. "Em fevereiro de 2016 eu fiz o primeiro contato com eles. Fizemos uma reunião mostrando nossas necessidades, e em maio de 2016 já iniciamos o projeto no CRF. Hoje, as atividades já se expandiram para várias unidades, e a parceria com o Ibraema é fundamental. Eles nos doam todo o material educacional do projeto e nos dão suporte para uma formação continuada do técnico e do interno monitor", explicou a professora.

Educação - O Ibraema, que tem sede em Recife (PE), também oferece cursos de educação financeira, programa de microcrédito e auditoria social, preparando as comunidades para enfrentar seus desafios. Gerson Ribeiro, diretor do Instituto, veio a Belém compartilhar objetivos da instituição e expor a experiência de alfabetizar pessoas privadas de liberdade.

"O forte do Ibraema é a educação, a alfabetização de jovens e adultos. No Pará nós estamos focando esforços nos cerca de 600 mil analfabetos que temos no Estado, e queremos reduzir esse número a zero, através de parcerias com diferentes órgãos, como estamos fazendo com a Susipe. Para nós, a parceria com a Susipe foi como uma brisa nova, um vento suave, porque sempre foi nosso desejo trabalhar com a população encarcerada, prepará-la para uma nova vida, e a alfabetização é um elemento essencial nesse processo", ressaltou o diretor.

Atualmente, a Susipe beneficia 99 internos envolvidos no "Tempo de Ler", mas a meta é chegar a 500 em todo o Estado. O interno monitor recebe remição de pena pelo trabalho, enquanto o interno que está sendo alfabetizado ganha remição pela educação. Patricia Sales, coordenadora de Educação Prisional, da Direção de Reinserção Social da Susipe, destacou a importância da parceria com o Ibraema. "A importância do projeto é que, além de conseguirmos diminuir o número de analfabetos no Estado, não temos custo. O Ibraema dá a formação e o material didático. Hoje, estamos fazendo uma formação para o professor, que vai repassar para o interno monitor. Esse monitor vai ficar durante oito meses trabalhando na alfabetização de seus colegas, e isso não tem preço. Todos ganham", afirmou a coordenadora.

Na formação para os técnicos, a professora Lindomar Carvalho e o diretor Gerson Ribeiro falaram sobre a metodologia do Ibraema e técnicas de alfabetização, e ainda esclareceram dúvidas dos educadores sobre o projeto. (Por Melina Marcelino).