Seac prospecta áreas para Usinas da Paz em Ananindeua e Marituba

12/07/2019 12h58 - Atualizada em 12/07/2019 14h47
Por Marta Brasil (SEAC)

O secretário de estado de Articulação da Cidadania (Seac), Ricardo Balestreri, visitou o prefeito de Marituba, Mário Filho, para discutir uma possível parceria do estado com aquele município na implantação do projeto Territórios pela Paz. Tendo o bairro Nova União como um dos territórios selecionados, Marituba é um dos municípios incluídos no raio de alcance do programa, assim como Ananindeua e Belém. Para sacramentar a parceria com os municípios, estuda-se a possibilidade de um convênio de cooperação entre os municípios e o Estado.

Além da prospecção de terrenos para a construção da Usina da Paz - a parte física do projeto, - também foi abordado no encontro a possibilidade de ampliação da parceria da Polícia Militar com a Guarda Municipal, visando melhorar a segurança pública nessas áreas, apontadas entre as de maior vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belém.

Também nesta semana, técnicos da Seac reuniram-se com representantes da Prefeitura de Ananindeua em busca de espaços para a construção da Usina da Paz do Icuí. O secretário de Saneamento de Ananindeua, Osmar Nascimento, recebeu o grupo da Seac em visita ao bairro do Icuí. Os assessores Esther Castaneira, coronel Marcos Lopes, Janaína Arguelhes e Ariovaldo Maia participaram do encontro.

Territórios
O programa Territórios pela Paz é uma estratégia do governo do estado para reduzir os elevados índices de violência registrados no Pará. Alia ações de políticas de segurança com projetos de cidadania, buscando atingir as causas que levam à violência. O TerPaz vai atingir sete bairros considerados de grande vulnerabilidade social da grande Belém: Guamá, Jurunas, Terra Firme, Benguí e Cabanagem (Belém), Icuí (Ananindeua) e Nova União (Marituba). A ideia é criar oportunidades para os jovens e moradores de áreas vulneráveis, evitando que se tornem presas fáceis do crime organizado.

Saiba mais sobre usinas da paz:

Para consolidar a presença do estado nos territórios serão construídas estruturas físicas denominadas de Complexos Usinas da Paz, além de uma praça voltada à atividades da juventude. As usinas da paz constarão de espaços para professores, dança, ginástica, salas de reuniões, brinquedoteca, sala de música, informática, atendimento odontológico, psicológico, espaço da mulher, de mediação de conflitos, emissão de documentos, espaço do consumidor, multiuso para cursos livres, cozinha experimental e escola de gastronomia, ateliê e escola de costura, empreendedorismo, jardinagem, auditório e cinema, entre outros.