Ideflor-Bio estimula turismo comunitário em Unidade de Conservação

05/07/2019 15h51 - Atualizada em 05/07/2019 16h25
Por Pryscila Margarido (IDEFLOR-BIO)

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) está desenvolvendo um projeto a fim de implantar ações de turismo de base comunitária em comunidades do entorno da Unidade de Conservação (UC) estadual Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel. Uma das 26 unidades geridas pelo Instituto, a RDS está situada no município de Senador José Porfírio, região sudeste paraense, distante cerca de 906 quilômetros da capital.

O trabalho resulta da atuação da Gerência da Região Administrativa do Xingu (GRX), vinculada à Diretoria de Gestão e Monitoramento de Unidades de Conservação (DGMUC) do Ideflor-Bio, responsável pela gestão de quatro Unidades de Conservação estaduais: a Área de Proteção Ambiental (APA) Triunfo do Xingu, Floresta Estadual (Flota) do Iriri, Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel e Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) Tabuleiro do Embaubal.

PARCERIA - Para dar andamento ao projeto, no período de 10 a 21 de junho deste ano, foram realizadas reuniões com as secretarias municipais de Meio Ambiente e de Turismo dos municípios de Altamira, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu. Na ocasião, o Instituto apresentou a proposta, solicitando parcerias com os municípios envolvidos, além do levantamento de informações e dados sobre a infraestrutura turística e de apoio, tais como as opções de transporte e hotelaria locais. As comunidades de Vila Nova, São Marcos e do Igarapé Tamanduá, situadas no entorno da UC, também tiveram a oportunidade de conhecer e saber como poderão ser inseridas no projeto.

"Fizemos reuniões com as comunidades para apresentar projetos, inscrever participantes e tecer as ações das próximas visitas. Fizemos também o levantamento de potenciais atrativos em turismo para elaborar roteiros turísticos, formatando trilhas, com a participação comunitária", pontua Letícia Freitas, turismóloga do Ideflor-Bio que participou das reuniões. Ela explica, ainda, de que forma o projeto beneficiará as comunidades. "Eles vão aprender a formatar trilhas, roteiros, vamos trabalhar a verticalização dos produtos deles, tanto na produção de óleos de coco, copaíba, entre outros, do artesanato, comidas. Além de dar apoio à comercialização desses roteiros futuramente, com participação deles em eventos e nas mídias sociais", assinala Letícia.

RENDA – Presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson ressalta que o turismo de base comunitária é uma das missões desempenhadas pelo órgão e que está dando certo em diversas unidades de conservação geridas pelo Instituto. "Surge como uma alternativa de renda para as comunidades tradicionais e ribeirinhas, assim como para outras modalidades de turismo ligadas ao ecoturismo, turismo de aventura e também para a educação ambiental", reforça. "Eles passam a vislumbrar a conservação e seus benefícios econômicos, sociais e ambientais de forma coesa", pondera.

UNIDADE DE CONSERVAÇÃO - A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel foi criada através do decreto de número 1.566, de 17 de junho de 2016. Possui uma área de aproximadamente 22.956,88 hectares e está localizada no município de Senador José Porfírio, sudeste paraense.

É uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável que abriga populações tradicionais, cuja existência baseia-se em sistemas sustentáveis de exploração dos recursos naturais. Tem como objetivo básico preservar a natureza, assegurar as condições e os meios necessários para a reprodução e a melhoria dos modos e da qualidade de vida. Além de valorizar, conservar e aperfeiçoar o conhecimento e as técnicas de manejo do ambiente, desenvolvido por estas populações.

Conforme determina o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), criado pela Lei 9.985/2000, que versa sobre o manejo das Unidades de Conservação, nessa categoria poderá ser desenvolvida atividades de visitação pública, pesquisa científica e educação ambiental, além da exploração de componentes dos ecossistemas naturais em regime de manejo sustentável, de acordo com o Plano de Manejo da Unidade