Agricultores de Prainha fornecerão merenda para escolas das próprias comunidades

24/06/2019 14h01 - Atualizada em 24/06/2019 14h02
Por Aline Miranda (EMATER)

Famílias de um distrito de Prainha, no Baixo Amazonas, estão se preparando para começar a fornecer alimentos para a merenda das escolas onde os filhos estudam. A oportunidade faz parte do atendimento prestado pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) a três comunidades de Santa Maria de Uruará: Igarapé-Açu, Santa Cruz e São Paulo.

Nos dias 15, 16 e 17 de junho, Emater e Prefeitura empreenderam um mutirão de mobilização, reunião, levantamento e visitas técnicas, já pensando nas ações.

Considerando as três comunidades, cerca de 100 famílias dispõem de potencial imediato para abastecer as duas escolas públicas do distrito com produtos como jerimum orgânico, farinha de tapioca e banana. O cardápio inclui diversas receitas, entre elas, mingau de cará-roxo e macaxeira cozida.

"A proposta não é só assegurar, para a agricultura familiar, um mercado com garantia de preço mínimo, como o é o da merenda escolar, mas também introduzir e reforçar na merenda que as famílias já consomem no dia a dia das propriedades, em um modo de valorizar e estender a cultura e os costumes", explica o chefe do escritório local da Emater, o engenheiro agrônomo Sérgio Mièle.

No mais, estruturar os contratos, nos quais constarão vigência de um ano e estimativa de preço de 10% a 15% acima do mercado convencional, para que a produção dos agricultores do distrito seja encaminhada diretamente para as escolas daquele próprio usufruto por uma questão de logística e escoamento, facilita e impulsiona a dinâmica socioeconômica do município.