Hospital Regional de Marabá incentiva diagnóstico precoce da anemia falciforme

21/06/2019 09h18 - Atualizada em 21/06/2019 16h29
Por Aretha Fernandes (HRSP)

Dores articulares e óssea, anemia crônica, icterícia e fadiga intensa são sintomas da anemia falciforme, uma das doenças genéticas e hereditárias mais comuns no Brasil. Nesta semana, quando se comemora o Dia Mundial da Conscientização e Sensibilização das Pessoas com Anemia Falciforme, o Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, em Marabá (PA), alerta a população sobre a importância do Teste do Pezinho no diagnóstico precoce da doença.

Desde que foi implantado no Hospital, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Marabá, o serviço já beneficiou 150 crianças internadas na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. O exame ajuda a identificar também os casos de fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito e fibrose cística.

Segundo o Ministério da Saúde, a cada ano, o País registra o nascimento de 3,5 mil crianças com anemia falciforme e outras 200 mil com o traço falciforme. Muitas delas passam por inúmeras transfusões de sangue ao longo da vida. Por conta disso, o Hospital Regional de Marabá integrou a sensibilização sobre a doença à programação do "Junho Vermelho" da Unidade, que incentiva o aumento das doações de sangue na região.

"Estamos mobilizando todas as pessoas que estão no Hospital - colaboradores, pacientes, acompanhantes e visitantes - para participarem da nossa 36ª campanha de doação de sangue. Muitas vidas dependem de transfusão: aquelas que passam por cirurgias, sofrem acidentes de trânsito ou estão com forte anemia, por exemplo. São várias situações que, às vezes, quem não vive a rotina de um hospital desconhece a importância das doações", comenta o biomédico da Agência Transfusional do Hospital Regional de Marabá, Gustavo Ramos.

Entenda a doença
A anemia falciforme é causada pela presença de uma hemoglobina anômala, a Hemoglobina S. Ela é a proteína responsável pelo transporte de oxigênio aos tecidos, presente nos glóbulos vermelhos do sangue, também conhecidos como hemácias. No caso dos portadores de anemia falciforme, essas hemácias têm a forma de foice ou meia lua e são mais rígidas, por isso, enfrentam dificuldade para passar pelos vasos sanguíneos, comprometendo a circulação sanguínea e a oferta de oxigênio.

Campanha de doação de sangue começa na próxima segunda-feira, 24
De 24 a 28 de junho, o Hospital Regional do Sudeste do Pará realizará a sua 36ª Campanha de Doação de Sangue. Simples, rápida e indolor, a coleta será feita em dois pontos: de segunda a sexta, das 7h às 12h, no Hemopa Marabá, e no dia 25, das 8h às 16h30, no posto volante montado dentro do Hospital. A meta é coletar 100 bolsas em cada local.

Qualquer pessoa pode ser doadora. Basta estar bem de saúde e alimentado no dia, ter idade entre 16 e 69 anos, pesar pelo menos 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto, como carteira de identidade e habilitação de motorista. Voluntários com menos de 18 anos devem apresentar autorização dos pais ou responsáveis legais.

Sobre a Unidade
O Hospital Regional de Marabá tem 115 leitos, sendo 77 de Unidades de Internação e 38 de Unidades de Terapia Intensiva. Possui perfil cirúrgico e habilitação em Traumato-ortopedia pelo Ministério da Saúde, oferecendo atendimento gratuito nas especialidades de Cardiologia, Cirurgia Buco-maxilo-facial,Cirurgia Plástica Reparadora, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Fisioterapia, Infectologia, Medicina Intensiva adulto, pediátrica e neonatal, Nutrição, Obstetrícia de Alto Risco, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Urologia, Neurocirurgia, Terapia Ocupacional, Traumato-ortopedia, Nefrologia e Anestesiologia.