Campanha junina de doação de sangue vai ajudar a salvar mais de 5 mil vidas

14/06/2019 13h57 - Atualizada em 14/06/2019 17h10
Por Vera Rojas (HEMOPA)

Encerramento das ações reuniu cerca de 150 pessoas, entre doadores, pacientes e instituições parceirasCerca de 150 pessoas, entre doadores, pacientes e representantes de instituições, participaram do encerramento da campanha "Junho Solidário - No arraiá do Hemopa tem festa e doação de sangue", nesta sexta-feira (14), quando se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue, que tem o objetivo de alertar a população mundial sobre a importância de manter os estoques de sangue em quantidade e qualidade para quem necessita dele para sobreviver.

No hemocentro paraense, nos cinco dias de campanha, houve o comparecimento de 1.670 voluntários e a coleta de 1.270 bolsas de sangue que vão salvar mais de cinco mil vidas. Diante dos resultados positivos, o evento de encerramento contou com a presença dos representantes de 19 escolas que participaram da gincana pela doação de sangue e receberam certificado "Selo Solidariedade 2019". Dessas, três delas receberam premiação: Colégio de Ensino Icoaraciense (CEI), que levou o 1º lugar e ganhou Placa de Ouro; o segundo ficou com a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Prof Albaniza de Oliveira Lima que conquistou a Placa Prata; e o terceiro lugar com a E.E.E.F.M Benjamin Constant com a Placa Bronze.

Escolas receberam o "Selo Solidariedade 2019" pela participação dos alunos na gincana pela doação de sangueDurante a campanha Junina também houve a Gincana Solidária envolvendo os servidores do Hemopa para encaminhamento de doadores. Na contagem dos pontos houve empate e o primeiro lugar foi dividido entre as servidoras Maria Zumero e Edileusa Lopes, ambas da Coordenadoria de Logística (Colg) do hemocentro.

Para consolidar e agradecer tantas doações de sangue direcionadas ao Hemopa, a paciente Arcilena Santiago, 45, que recebe atendimento no hemocentro falou sobre a importância dos doadores em sua vida e de tantos outros usuários com patologias do sangue. Com anemia falciforme (doença hematológica hereditária monogênica, caracterizada pela produção anormal de hemoglobinas), ela recebe mensalmente infusão de sangue tipo A Positivo fenotipado (caracterizado pela presença ou ausência de antígenos, responsáveis pela reação de incompatibilidade nas hemácias).

"Só tenho a agradecer cada um de vocês que estão aqui hoje e todas pessoas que salvam a minha vida e de milhares de outras pessoas que precisam de sangue para melhorar seu quadro de saúde ou mesmo para sobreviver. Graças a todos vocês eu pude ser mãe e ver a minha crescer. Muito obrigada pela minha vida e minha alegria de viver que é a minha única filha", disse a paciente, que recebe atendimento no Hemopa desde a década de 80.

Mais de 250 doações foram realizadas durante as ações da campanhaAtualmente, a Fundação Hemopa atende 14.904 pacientes com doenças hematológicas. Desses, 908 são falciforme.

O presidente da Fundação, Paulo Bezerra, agradeceu e parabenizou instituições parcerias, inclusive, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) pela participação de estudantes de escolas da rede de ensino pública na campanha de doação de sangue, por meio do Projeto "Educação em Saúde- Salvando Vidas", através do projeto "Doador do Futuro", do Hemopa.

"Estou no Hemopa há 30 anos e ainda me emociono com essas demonstrações de amor ao próximo, de responsabilidade social para salvar vidas, especialmente, vindas de crianças e jovens da rede de ensino. Nosso muito obrigado pelo empenho de cada um de vocês". No ato, a Seduc foi representada pela professora Maria José do Rosário Carvalho.

A campanha junina superou todas as expectativas. A meta diária era de 300 comparecimentos e 200 coletas. No entanto, a população ouviu o apelo do Hemopa que superou a meta da organização do evento com o comparecimento de 329 voluntários e 254 doações, por dia, levando otimismo e esperança de vida e/ou qualidade de vida para pessoas que dependem desse gesto humanitário.

A gerente de Captação de Doadores, Juciara Farias, ressalta que hoje foi encerrada apenas uma etapa das ações. "A partir deste sábado, 15, já iniciamos atividades em adesão ao Junho Vermelho, que vai até o final deste mês. Contamos com o apoio de todos que podem doar sangue", destacou a assistente social.

Doações números - De acordo com o Ministério da Saúde, são realizadas cerca de 3,4 milhões de doações de sangue por ano no Brasil, mas apenas 1,6% da população brasileira tem a prática de doar sangue. No Pará, o percentual está acima da média nacional com 2,2% da população doadora. Das coletas efetuadas no Estado, 40% são de mulheres e o restante do sexo masculino. Os jovens (18 /29anos) são responsáveis por 47% das coletas.

Para doar sangue - É preciso ter entre 16 e 69 anos (menores devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar documento de identificação oficial, original e com foto.

Serviço: As doações de sangue também podem ser feitas no Hemocentro Coordenador e na Estação de Coleta Castanheira, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30, e aos sábados, de 7h30 às 17h. Há ainda a Estação de Coleta Pátio Belém que funciona de segunda a sexta-feira de 10h às 17h. Mais informações: 08002808118 ou 3110-6500.