Uepa implanta plataforma exclusiva de pesquisa acadêmica

13/06/2019 14h03 - Atualizada em 13/06/2019 17h09
Por Nailana Thiely (UEPA)

Objetivo é proporcionar acesso fácil às produções dos pesquisadores de universidades e institutosFomentar a pesquisa produzida no Estado, através de uma ferramenta para busca de todas as produções científicas, bibliográficas, técnicas, tecnológicas, artísticas e culturais, além de uma base de dados de projetos de graduação e pós-graduação desenvolvidos exclusivamente pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). Este é o objetivo da Plataforma Píon, um software criado pela ESIG Software, com livre acesso ao público e que pretende melhorar a conectividade entre as Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) e a sociedade, proporcionando um acesso fácil às produções dos pesquisadores de universidades e institutos.

Clique aqui e acesse a Plataforma Píon

A iniciativa é da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) da Uepa, a partir de um modelo semelhante desenvolvido no Amapá. Através da Plataforma Píon, é possível buscar por palavra-chave e descobrir pesquisas por tema, possibilitando uma interligação deste pesquisador com alunos, professores, empresas e instituições que necessitam deste conhecimento para aplicação acadêmica ou comercial.

Para obter as informações das produções, a Plataforma Píon extrai os currículos dos pesquisadores da Plataforma Lattes. Todos os docentes da Uepa com Currículo Lattes são automaticamente cadastrados. Para o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Uepa, professor Renato Teixeira, a plataforma potencializa o alcance internacional da produção desenvolvida na região. "A plataforma é aberta ao público. Se uma pessoa em qualquer lugar do mundo deseja saber das pesquisas, por exemplo, em ciências ambientais, basta buscar por tema e a plataforma dá o resultado de toda a produção acadêmica da Uepa neste tema", defende.

Futuras parcerias - Atualmente a Plataforma Píon da Uepa conta com um banco de dados de 45347 produções bibliográficas, 16785 produções técnicas, 953 produções artísticas e literárias e 60 patentes. Além dos atuais dados de produções docentes ligadas à Plataforma Lattes, com a futura implantação da Plataforma SIGAA na Uepa, agendada para o mês de julho, será possível fazer o cruzamento de dados e monitorar, por exemplo, a produção de docentes do Regime de Tempo Integral com Dedicação Exclusiva (TIDE).

O nome Píon é uma homenagem ao brasileiro César Lattes, que foi um dos grandes responsáveis pelo trabalho de descoberta do méson pi e pela premiação do seu colega de pesquisa Cecil Powell, físico britânico da Universidade de Cambridge, com o Prêmio Nobel de Física de 1950.