Feira incentiva a divulgação de produtos artesanais em órgãos públicos

31/05/2019 18h50
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A I Feira Itinerante de Artesanato Paraense (Fiap) foi realizada durante a manhã desta sexta-feira (31), na sede da Secretaria de Estado de Administração (Sead), e reuniu 21 expositores oriundos das cidades de Belém, Santa Bárbara, Curuçá e região do Guajará. Durante essa primeira edição, foram vendidas 162 peças, entre produtos de biojoias, crochês, cerâmicas, cheiros do Pará, reciclados, sandálias com sementes, licores, entre outros.

O evento é promovido pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), por meio da Diretoria de Qualificação Profissional e Empreendedorismo, que tem dado incentivo à produção e comercialização de produtos artesanais através da proposta de feiras itinerantes. Os eventos proporcionam a participação e divulgação de produtos artesanais em órgãos públicos.

Nascido e criado no bairro Paracuri, no distrito de Icoaraci, o artesão José Luiz Nunes, 50, produz peças em cerâmica há 38 anos. Seu Zeca Nunes, como gosta de ser chamado, encontrou no artesanato sua fonte de renda. “O artesanato é a única renda que tenho. Tenho dois filhos, todos estão formados e com seus respectivos empregos e eu continuo trabalhando com a cerâmica, que é a minha fonte de tudo”, conta ele.

Zeca faz parte da Sociedade de Artesãos e Amigos de Icoaraci (Soami), que há 24 anos fomenta e fortalece a produção dos artesãos icoaracienses. “Individualmente nós não conseguíamos muitas coisas, então, em 1995, tivemos a ideia de criar a Soami para nos fortalecer enquanto categoria. E, a partir desse processo, muitos conseguiram alavancar a venda dos seus produtos, pois antes não tínhamos expectativa de vida”, comenta.

Assim como Zeca, a artesã Socorro Melo, 58, faz parte da Associação dos Artesãos da Praça da República e há 27 anos trabalha na confecção de produtos com couro, sementes e borracha de pneus. “A minha matéria prima é a fibra de juta e aos poucos fui adicionando o couro, as sementes da Amazônia e, posteriormente, comecei a reaproveitar os pneus que poluem as nossas ruas, para fazer o solado das minhas sandálias”, explica ela.

Período – O objetivo é que a Feira Itinerante de Artesanato Paraense ocorra uma vez ao mês, sempre em órgãos públicos. “É muito importante a compreensão dos órgãos estaduais sobre o significado do artesanato paraense, que é um dos mais bonitos do Brasil. Essa feira é uma iniciativa que possibilita que os artesãos comercializem seus produtos e sejam valorizados, e por isso nós já queremos agradecer a Sead pela parceria e os demais órgãos que irão nos receber nas próximas edições”, enfatiza o secretário Adjunto de Trabalho, Emprego e Renda, Miriquinho Batista.