Centro de reabilitação investe em inclusão para comunicação em Libras

24/04/2019 19h26
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Dia 24 de abril é comemorado o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Criado pela lei nº 10.436/2002, a data veio para eliminar barreiras e proporcionar maior inclusão na vida de todas as pessoas, especialmente, os deficientes auditivos, que atualmente somam 9,8 milhões de brasileiros, o que representa 5,2% da população. Deste total, 2,6 milhões são surdos e 7,2 milhões apresentam grande dificuldade para ouvir, segundo pesquisa do IBGE de 2010.

Para garantir a qualidade e humanização na assistência, o Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), em Belém, investe na capacitação de 100% de seus mais de 200 colaboradores que estão tendo aulas de Libras, para proporcionar maior inclusão e interação junto aos usuários com surdez, o que inclui crianças, jovens, adultos e idosos. O objetivo é quebrar barreiras invisíveis e melhorar a comunicação entre usuários e atendentes e, assim, fortalecer o vínculo e empatia entre os públicos.

A aposentada Ivone Assunção de Andrade, com deficiência auditiva, faz parte da estatística de pessoas com surdez. “Para quem tem deficiência auditiva é muito importante que todos aqui saibam a língua de sinais. Nos sentimos incluídos e livres para interagir com todos e com o ambiente onde estamos sendo atendidos. Isso é maravilhoso”, disse a usuária, por meio da língua de sinais trocadas com o auxiliar administrativo Ednelson da Silva Ladislau, que começou a estudar Libras no CIIR, ano passado, e neste ano, passou no vestibular para fazer o curso superior em Libras na Universidade Estadual do Pará (Uepa). Sua meta é tornar-se um intérprete.

A gestão do Centro de Reabilitação investe na capacitação dos colaboradores com aulas semanais de Libras. De acordo com o diretor executivo da unidade, Jose Batista Luz Neto, as aulas iniciaram final do ano passado, pelos colaboradores que atuam nas recepções, priorizando o atendimento aos usuários. “Cerca de 80% de nosso corpo funcional estuda Libras e mais de 10% já mantém comunicação em Libras”, garantiu.

Essa perspectiva de evoluir como pessoa e profissional fez com que Ednelson Ladislau entendesse não apenas a necessidade técnica do aprendizado oferecido pelo CIIR. “Não era apenas uma questão de aprender para se comunicar, era uma questão de aprender para sentir. Sentir o quanto somos limitados a ponto de não entender que pequenos gestos (sinais) com as mãos, juntamente com uma expressão facial e corporal podem dizer muito mais que uma simples palavra dita de forma oral”, comentou.

“Hoje, meu objetivo é ser intérprete de Libras e fazer a diferença, não só no CIIR, mas na sociedade. Vamos buscar aprender e praticar até o bastante não ser suficiente”, afirmou Ednelson, que parabenizou a direção do CIIR pela oportunidade e iniciativa.

É nesse cenário de disponibilidade de inclusão integral, que José Neto ressalta a importância de garantir a comunicação entre colaboradores e usuários com surdez para manter um atendimento ético, seguro e humanizado. “O CIIR é 100% pautado na assistência à pessoa com deficiência, então não poderia ser diferente. Aqui é um ambiente inclusivo para atender, orientar, instruir, conversar com nossos usuários com deficiência auditiva”, disse.

O aprendizado da língua de sinais tem um importante reforço de dois professores e intérpretes de Libras, que ministram aulas diárias em horários alternados, para grupos de colaboradores, em intervalos de suas atividades. Um deles é o Rogério Dias Moreira que também faz mediação da comunicação entre usuários e colaboradores, além de tradução de voz.

Estrutura – O CIIR oferece, em um único complexo, atendimento para pessoas com deficiência física, mental, intelectual, auditiva e visual para usuários de todas as faixas etárias. São diversas especialidades, tecnologias e estrutura de última geração, associadas à qualidade, segurança e humanização destinadas 100% aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Atendimento – Os usuários podem ter acesso aos serviços por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, acolhido pela Central de Regulação de cada município, que por sua vez encaminhará à regulação Estadual, onde o pedido será analisado conforme perfil do usuário, através do Sistema de Regulação. É importante ressaltar que não há atendimento espontâneo ou qualquer tipo de inscrição ou cadastramento no CIIR.

Serviço: O CIIR funciona na Rodovia Arthur Bernardes, 1.000. Mais informações: 4042-2157/58/59.