Pastoral Carcerária investe em profissionalização de detentos custodiados pela Susipe

11/08/2015 17h50
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, 11, a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) juntamente com a Pastoral Carcerária discutiram uma parceria com a Escola Salesiana do Trabalho para ofertar cursos profissionalizantes aos 177 internos do Centro de Progressão Penitenciário de Belém (CPPB), que cumprem pena no regime semiaberto.

Essa será a primeira vez que a Susipe fecha parceria com a Escola da rede Salesiana. O objetivo é capacitar e profissionalizar os detentos para que eles tenham melhores oportunidades no mercado de trabalho. Além dos internos, os cursos também poderão ser estendidos aos familiares de presos e egressos do sistema penitenciário.

Durante a reunião, estiveram presentes o vice-diretor e a assistente social do CPPB, Ronildo Guimarães e Lourdes Barradas, respectivamente; o diácono Ademir da Silva, da Pastoral Carcerária e o diretor-geral da Escola Salesiana do Trabalho, Pe. Francisco Sadeck. A previsão é de que as aulas iniciem ainda em agosto.

“Essa parceria vem para promover ainda mais o projeto de justiça restaurativa, que pretende restaurar a dignidade moral, social e cristã do detento. Queremos mostrar ao preso do semiaberto que ele não precisa ficar isolado, que é importante pra sociedade. A justiça restaurativa tem que ocorrer não só no sentido jurídico, mas principalmente no sentido social, já que o detento após pagar por seus erros deve ter as mesmas oportunidades e valorização”, explicou o diácono Ademir da Silva.

As turmas formadas terão entre 20 a 25 alunos. A Escola Salesiana do Trabalho irá oferecer cursos de informática, garçom e auxiliar administrativo, que não exigem escolaridade mínima para a participação, uma vez que cerca de 40% da população carcerária do Estado não concluiu sequer o ensino fundamental. No entanto, para o interno que já possuir ensino médio completo ou estiver cursando, também estarão disponíveis vagas nos cursos de mecânica de autos, de refrigeração, industrial e de motos. As formações terão em média a carga horária de 260 horas e as aulas serão ministradas das 19h às 21h30. Os cursos são voltados para pessoas de baixa renda e maiores de 18 anos.

“Quanto mais investirmos na formação, mais se concretiza a verdade de que o homem na sua intelectualidade pode se libertar e transformar o ambiente em que vive. A parceria que queremos criar com a Susipe tem esse propósito, ou seja, de que essas pessoas que estavam presas ou até as que ainda estão no regime semiaberto possam ter um curso de qualificação para conseguirem um emprego retomando a sua dignidade. É um renascer, uma reviravolta na vida”, afirmou Pe. Sadeck.

Há 53 anos, a Escola Salesiana trabalha com a profissionalização de jovens e adultos. Os cursos têm parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que disponibiliza para o curso os professores da rede estadual. Para os internos do CPPB, ao longo de todo o curso serão aplicadas avaliações com o intuito de verificar o grau de aprendizagem e ao final os detentos receberão um certificado de formação.

“O CPPB já faz o trabalho de estimular o preso a voltar a estudar ou trabalhar, então essa parceria converge para isso, já que com uma profissionalização os internos irão ter a oportunidade de adquirir um conhecimento teórico sobre um assunto e isso vai facilitar que novas portas se abram pra esses detentos ou egressos no mercado de trabalho, que hoje é tão competitivo”, assegurou o vice-diretor do CPPB, Ronildo Guimarães.