Soldados da PM doam cabelos a vítimas de escalpelamento

23/01/2015 17h12
Por Redação - Agência PA (SECOM)

As soldados da Polícia Militar Darilene Monteiro e Ariane do Socorro, ambas alunas do II Curso de Operações Fluviais da PM, tomaram uma decisão importante. Ao perceberem que os cabelos longos poderiam atrapalhar na adaptação ao curso, tanto na parte técnica quanto na tática, elas resolveram cortá-los e decidiram fazer uma boa ação: doar a mulheres vítimas de escalpelamento.

As militares decidiram saber mais sobre o atendimento às vítimas de escalpelamento e conheceram o Espaço Acolher, que integra o Programa de Atenção Integral a Vítimas de Escalpelamento (Paives), da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Na sede do programa, as soldados se depararam com mulheres que tinham perdido os cabelos em acidentes nos rios e que ainda estavam em fase de cicatrização dos ferimentos, ainda abaladas psicologicamente e sofrendo com a aversão à própria imagem.

A soldado Darilene, que ficou emocionada em fazer a boa ação, disse que sentiu “amenizando a dor daquelas mulheres", sentimento que também tomou conta da soldado Socorro, que afirmou “sentir-se mais leve e com mais força para suportar a carga do curso”. “Foi mais um incentivo para nós, pois teremos menos uma preocupação, além de abrirmos mão de certas vaidades para ajudar quem precisa, fazendo o bem ao mesmo tempo. Também nos aproximamos da realidade das mulheres ribeirinhas", disse Socorro.

Erradicar os casos de escalpelamento nos rios da Amazônia ainda é um grande desafio. A Capitania dos Portos faz a doação da proteção do eixo do motor para as embarcações, mas nem todos os ribeirinhos sabem disso. “E às vezes é muito longe para eles virem buscar essa ajuda”, frisou a soldado. Em 2014, 18 casos de escapelamento chegaram aos cuidados do Espaço Acolher, por isso, o ato das militares é um grande incentivo a quem sofreu este tipo de trauma.